RENDIMENTO DE MADEIRA SERRADA PARA TRÊS ESPÉCIES FLORESTAIS COMERCIAIS DO BIOMA AMAZÔNICO EM JUÍNA/MT

Resumo

Objetivou-se determinar e avaliar o rendimento em madeira serrada de três espécies tropicais do bioma amazônico, Copiúba (Goupia Glabra), Jatobá (Hymenaea Courbaril) e Maria Preta (Diatenopteryx Sorbifolia Radlk). Para cada espécie foram selecionadas 22 toras de cada espécie, totalizando 66 toras as quais foram medidas para obtenção de volume das toras e posteriormente tiveram seu desdobro em 3 serras tipo: fita, serra circular simples e serra circular destopadeira. Conduziu-se uma análise estatística simples com teste de comparação de médias, baseado na análise de variância. O teste de comparação de médias baseou-se no método de Scott-Knott a 95% de probabilidade. A variável analisada foi o rendimento da madeira serrada. Os resultados de rendimento volumétrico de madeira serrada obtidos foram Copiúba (64,05%), Jatobá (57,61%) e Maria Preta (67,12%). A Maria Preta foi a espécie que obteve melhor rendimento em madeira serrada e menor geração de subprodutos.

 

Palavras-chave: Rendimento de madeira serrada, bioma amazônico, teste de comparação de médias.

 

Publicado
2021-09-02
Seção
Artigos