O protagonismo da tecnologia nos processos comunicacionais e a potencialização das desigualdades de acesso à internet no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/RIF.v.21.i46.0011

Palavras-chave:

Mídia;, Tecnologia; , Processos comunicacionais; , Ator-rede;, Folkcomunicação.

Resumo

O caráter de exceção que dominou o cotidiano de todo o planeta em função da pandemia de Covid-19 ao longo do ano de 2020 estabeleceu novos parâmetros de convivência, tendo como uma das premissas para a contenção do contágio o isolamento ou distanciamento social. Diante de um cenário de impossibilidade de contatos presenciais, em praticamente todas as esferas de relacionamento social e interpessoal (familiar, profissional, educacional), as soluções tecnológicas, midiáticas e digitais assumiram definitivamente o protagonismo nos processos comunicacionais. O presente artigo discute essa agenda de aceleração tecnológica a partir de um contraponto essencial à sua efetivação no nosso país: 18% da dos domicílios brasileiros não tem acesso à internet, segundo dados da pesquisa TIC-2021. Isso corresponde a 35,5 milhões de pessoas que não estão conectadas à rede mundial de computadores e para os quais a barreira é o valor elevado que as operadoras cobram pelo serviço. Os problemas estruturais da “vida real” se espelharam nitidamente na “vida virtual”, potencializando desigualdades e reforçando a exclusão digital dos cidadãos que já vivem um processo de disjunção social.  Ao resgatar a teoria ator-rede, de Bruno Latour, que discorre sobre o espaço-rede e sua transformação a partir das relações entre humanos e não-humanos, o que se pretende é dialogar com o conceito da Folkcomunicação a partir das concepções de ativista midiático trazido por Osvaldo Trigueiro, de modo a entender de que maneira este último pode ser um caminho alternativo para algum tipo de acesso a essa massa “desconectada” da população brasileira.

Referências

BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: Intercâmbio de Mensagens. In: MARQUES DE MELO, José e FERNANDES, Guilherme Moreira (Org). Metamorfose da folkcomunicação: antologia brasileira. São Paulo: Editae Cultural, 2013.

CASTELLS, Manuel. O poder da comunicação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

CGI. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC Domicílios 2018. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. 1ª ed. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2019.

CGI. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros:TIC Domicílios 2019. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. 1ª ed. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2020.

CGI. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação nos domicílios brasileiros: TIC Domicílios 2021. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. 1ª ed. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2022.

CGI. Pesquisa sobre centros públicos de acesso à internet no Brasil - TIC Centros Públicos de Acesso 2019. Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR. 1ª ed. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil, 2020. Disponível em: https://cetic.br/media/docs/publicacoes/2/20200707095230/tic_centros_publicos_de_acesso_2019_livro_eletronico.pdf. Acesso em out/2020

GOBBI, M. C.; BERNARDINI, G. Interatividade: um conceito além da Internet. Revista Geminis. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos, n. 4, p 42-56, 2013.

LATOUR, Bruno. On technical mediation - philosophy, sociology, genealogy. Common Knowledge. USA: Duke University Press, Vol. 3, n. 2, 1994.

LEMOS, A. Espaço, mídia locativa e teoria ator-rede. São Paulo: Galaxia, v. 25, p. 52-65.

MATTELART, A. A construção social do direito à Comunicação como parte integrante dos direitos humanos. Intercom - Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, Vol. 32, n. 1. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=69830991003. Acesso em nov/2020.

MARTIN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.

SANTAELLA, L., e CARDOSO, T. O desconcertante conceito de mediação técnica em Bruno Latour. Matrizes. São Paulo: Vol. 9, n. 1, 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1430/143039560010.pdf. Acesso em nov/2020.

THOMPSON, J. B. A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Petrópolis: Vozes, 2002.

TRIGUEIRO, O. M. O ativista midiático da rede folkcomunicacional. Revista Internacional de Folkcomunicação (RIF). Ponta Grossa: Vol. 1, n. 7, 2006. Disponível em: https://www.revistas.uepg.br/index.php?journal=folkcom. Acesso em ago/2020.

RIFIOTIS, T. Desafios contemporâneos para a antropologia no ciberespaço: o lugar da técnica. Civitas - Revista de Ciências Sociais. Porto Alegre: Vol. 12. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_nlinks&pid=S0102-6909201600010008500033&lng=en. Acesso em dez/2020.

UNESCO. Um Mundo e Muitas Vozes: Comunicação e Informação na nossa Época. Rio de Janeiro: FGV, [1983] 1980.

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

DE SANTI, M. F.; GOBBI, M. C. . O protagonismo da tecnologia nos processos comunicacionais e a potencialização das desigualdades de acesso à internet no Brasil. Revista Internacional de Folkcomunicação, [S. l.], v. 21, n. 46, p. 216–231, 2023. DOI: 10.5212/RIF.v.21.i46.0011. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/21349. Acesso em: 17 jun. 2024.