POLÍTICAS DE ACESSO E PERMANÊNCIA DAS CRIANÇAS NAS ESCOLAS DO CAMPO:

direito e dignidade humana

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/RevTeiasConhecimento.v1i1.2023.h

Palavras-chave:

EDUCAÇÃO DO CAMPO, LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL, CRIANÇAS, DIREITOS HUMANOS

Resumo

O estudo é resultante de reflexões realizadas no desenvolvimento de uma pesquisa de mestrado, o qual se propõe a discutir a caracterização da educação do campo, quais as leis que estabelecem as diretrizes para esse ensino, bem como para a permanência das crianças nas escolas do campo. Partindo dessas reflexões iniciais, propõe-se como objetivo geral: identificar como o acesso e a permanência das crianças nas escolas do campo é garantida na legislação brasileira. Como objetivos específicos pretendemos: apresentar a legislação sobre a educação do campo; analisar os possíveis desafios existentes no acesso e na permanência das crianças em escolas do campo; e por fim perceber quais as ações que precisam ser realizadas, para o acesso e a permanência dos alunos em escolas do campo. A metodologia utilizada foi o levantamento bibliográfico, o qual busca o aprofundamento científico sobre a temática. O trabalho revelou que a educação do campo possui desafios; que seu reconhecimento e compreendimento por vezes são incorretos, e o acesso e a permanência das crianças nessa modalidade de ensino é em alguns momentos prejudicada, os motivos são: precariedade ou falta do transporte escolar, e a falta de compreensão sobre a importância da escolarização e valorização da cultura campesina.

 

Biografia do Autor

Flávia Aparecida dos Santos Silva, UEPG

Mestranda em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (PPGE - UEPG) 2022-2023. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2009). Especialista em: Orientação e Supervisão Educacional; Psicopedagogia Clínica e Institucional; Educação Infantil; Filosofia para o Ensino Médio. Participa do Grupo de Pesquisa GEPEEDI (Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Infantil) pela UEPG. Realiza estudos e pesquisa nas seguintes temáticas: Aprendizagem da Docência; Saberes Docentes; Formação Inicial e Continuada; Infâncias; Educação Infantil; Práticas Pedagógicas; Educação do Campo. Atualmente, atua como diretora de uma escola pública no campo do município de Ipiranga - PR, e desenvolve pesquisa com a temática: "NARRATIVAS AUTOBIOGRÁFICAS SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA DE PROFESSORAS DE CRIANÇAS EM ESCOLAS NO CAMPO DO MUNICÍPIO DE IPIRANGA/PR"

Marilúcia Antônia de Resende Peroza, UEPG

Graduada em Pedagogia pela Universidade do Estado de Minas Gerais (2001), mestra em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2012) e doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2017). Atualmente é professora Adjunta na Universidade Estadual de Ponta Grossa, atuando no curso de Pedagogia e no Programa de Pós-graduação em Educação - PPGE/UEPG. É líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Educação Infantil (GEPEEDI/CNPq) que compõe a Rede Interinstitucional de Pesquisadores sobre Formação e Práticas Docentes (RIPEFOR). É Editora-chefe da Revista Olhar de Professor - UEPG. Vice coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação-UEPG (2023-2025). É mãe da Angelina. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Infantil, atuando principalmente nos seguintes temas: Processos educativos da criança em contextos vulneráveis, prática pedagógica na Educação Infantil, Estágio na Educação Infantil e Formação de professores.

Downloads

Publicado

2023-08-28

Como Citar

SILVA, F. A. dos S.; PEROZA, M. A. de R. POLÍTICAS DE ACESSO E PERMANÊNCIA DAS CRIANÇAS NAS ESCOLAS DO CAMPO:: direito e dignidade humana. Revista Teias de Conhecimento, [S. l.], v. 1, n. 1, 2023. DOI: 10.5212/RevTeiasConhecimento.v1i1.2023.h. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/teias/article/view/22126. Acesso em: 23 jun. 2024.