JOÃO DO RIO E AS RELAÇÕES DE PODER NAS TRANSFERÊNCIAS CULTURAIS DA BELLE ÉPOQUE BRASILEIRA

  • Douglas Vinicius Souza Silva IEL - UNICAMP

Resumo

O artigo examina a trajetória intelectual de João do Rio, pseudônimo de Paulo Barreto, por meio do estudo de sua biblioteca particular. Inclui-se a consulta a alguns escritos pessoais e profissionais do autor, nos quais se encontram, muitas vezes, registros de experiências de leitura. Tal estudo possibilitou mapear as transferências culturais (COOPER-RICHET; GUIMARÃES, 2012) por meio da intensa circulação e divulgação de livros e dos comentários sobre países estrangeiros feitos pelas crônicas da época. Nesse contexto, os resultados ajudam a compreender tanto as relações de poder nos contatos culturais entre Brasil e Portugal, questionando a ideia de que somente a cultura brasileira foi influenciada pela europeia, quanto o trânsito das produções culturais em via de mão dupla. Contudo, a análise das polêmicas envolvendo João do Rio, relacionadas a sua defesa de Portugal como pátria irmã do Brasil, revela a assimetria das transferências nas relações de poder entre as duas culturas.

Publicado
2021-09-03
Seção
Artigos Tema Livre