A função social da literatura na Educação Infantil:

produção de sentido e desenvolvimento humano

Palavras-chave: Teoria Histórico-Cultural. Literatura Infantil. Interação Dialógica.

Resumo

O homem é um ser social e, a fim de desenvolver as suas capacidades humanas, precisa apropriar-se da cultura, por intermédio de interações sociais. Nesse sentido, o processo educacional consiste em apresentar a cultura por meio do ensino intencional e motivador, o qual permite ao aluno transformar, a partir de vivências no processo de aprendizagem, as suas funções psicológicas. Assim, o desenvolvimento humano é um processo cooperativo, intergeracional, cuja comunicação materializa uma necessidade e engaja a subjetividade a entrar em atividade, dotado com a motivação indispensável para, mediante processos e ações, resolver a situação-problema e produzir sentido, na qualidade de síntese da experiência educacional. Logo, com o objetivo de compreender o processo pedagógico literatura infantil, realizou-se a análise descritiva do experimento de leitura de texto literário na Educação Infantil, enquanto mediador do aprendizado da linguagem oral e escrita das crianças. Observou-se que a linguagem está na aprendizagem das crianças, na base das funções sociais, psicológicas e, portanto, pedagógicas. A literatura é um bem cultural que precisa ser passado às novas gerações, através da leitura dos textos literários. Gera, desse modo, a necessidade de pesquisar o seu impacto no desenvolvimento humano, desde as séries iniciais.

Biografia do Autor

Angelo Antonio Puzipe Papim, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Graduado em Psicologia pela Universidade Salesiano, com especialização em Terapia Cognitivo-Comportamental; graduado em licenciatura plena em Pedagogia pela Faculdade de Filosofia e Ciências (UNESP) ? Marília; graduado em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia e Ciências (UNESP) ? Marília; Mestrando em Ciências Sociais, na linha de Pensamento Social, Educação e Políticas Públicas, pela Faculdade de Filosofia e Ciências (UNESP) ? Marília; Mestrado em Educação, na linha de Educação Especial, pela Faculdade de Filosofia e Ciências ?UNESP? Marília. Doutorando em Educação, na linha de Educação Especial, pela Faculdade de Filosofia e Ciências ?UNESP? Marília. Tem experiência na área de Psicologia Clínica, atuando no Núcleo de Assistência Psicológica e Psicoeducacional e de Pesquisa (NAPEP, UNESP FFC - Marília). Possui experiência em Psicologia Social e Educacional, atuando principalmente na área de Educação Especial e Desenvolvimento Humano, com base na Psicologia Histórico-Cultural. É membro do Grupo de Estudos e Pesquisas em Inclusão Social (GEPIS) da UNESP FFC - Marília e membro do Grupo de Pesquisa ?Implicações Pedagógicas da Teoria Histórico-Cultural?. Atualmente, é Psicólogo Clínico, trabalhando nas seguintes áreas: Transtornos do neurodesenvolvimento infantil, com experiência em atendimento no campo da deficiência intelectual, autismo e sexualidade humana. Também atua com transtornos do humor em psicoterapia infantil e adulta.

Publicado
2020-12-13
Seção
Artigos