BENZEDURA: FAMÍLIA FERREIRA E A ARTE DE CURAR PELA FÉ

  • Carla Adriana Menegotto Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Cirlei Francisca Gomes Carneiro Universidade Estadual de Ponta Grossa
Palavras-chave: Benzedor, Poder de cura, Saberes populares.

Resumo

As atividades extensionistas realizadas através do projeto “Doença e cura” (CARNEIRO, 2000) permitiram presenciar as práticas de rituais de uma família de descendência africana, loca-lizada em Ponta Grossa, Castro e Piraí do Sul. As formas de curar junto à população foram observadas a partir do diálogo com as fontes escritas, orais e fotográficas. Ao final do século XX, vê-se ainda presente nos Campos Gerais do Paraná, a assistência terapêutica não especializada, cujas artes de cura estão fundamentadas nos ritos da espiritualidade. Em pleno Século XXI, na qualidade de “esculápios”, a família Ferreira é portadora do domínio de “curas milagrosas”: Joaquim é conhecido como benzedor e trata com ervas as mazelas das famílias; Zenilda cura enfermidades provocadas por “feitiçarias”; Maria Zeni, como vidente, direciona os seus pacientes. Assim, a partir de rituais afro-brasileiros, a família Ferreira trata do doente e, numa relação “sócio-religiosa”, cura o paciente pela fé.

Biografia do Autor

Carla Adriana Menegotto, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Professora Mestre do DEHIS da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Cirlei Francisca Gomes Carneiro, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Professora Mestre do DEHIS da Universidade Estadual de Ponta Grossa.