A festa como manifestação privilegiadada ludicidade humana

Autores

  • Conceição Lopes

Resumo

A reflexão sobre a festa é realizada a partir do pressuposto de que a festa é uma manifestação da ludicidade. Destaca-se que a ludicidade, como fenómeno humano, é socialmente desvalorizada e fragmentada, apesar de nas sociedades de influência cristã o texto bíblico do livro dos Génesis aludir ao fenómeno da ludicidade humana, no processo da criação Divina do Mundo. O artigo explora, ainda, as relações entre mundos de experiência e ludicidade. E, estabelece a conexão entre a natureza consequencial da comunicação e da ludicidade, o que permite definir o conceito de ludicidade, desenvolver a teoria orquestral da ludicidade e afirmar que a festa é um lugar privilegiado das manifestações deste fenómeno humano e social.

Downloads

Publicado

2008-12-07

Como Citar

LOPES, C. A festa como manifestação privilegiadada ludicidade humana. Revista Internacional de Folkcomunicação, [S. l.], v. 4, n. 7, 2008. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/18666. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS E ENSAIOS