Fé e Saúde

a relação construída entre os itamatatiuenses e a Santa Teresa D’Ávila de Jesus

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/RIF.v.20.i44.0013

Resumo

Propõe-se uma reflexão sobre a fé como elemento primário e necessário nas relações sociais advindas da comunidade negra de Itamatatiua, localizada no município de Alcântara, Maranhão. A cultura popular aliada à fé em Santa Teresa D’Ávila desenvolveu uma relação comunicacional de esperança para a busca da cura, da saúde àqueles que acreditam no poder da Santa. A par da pesquisa bibliográfica para compreender o sentido de religiosidade e saúde nos processos comunicacionais com o divino, adotou-se o método etnográfico com visitas periódicas durante um ano e meio na comunidade, coletando dados através da observação participante, questionários e entrevistas. Compreendemos que mesmo tendo uma rede de saberes e práticas envolvendo humanos e não humanos, ou seja, ervas, práticas de cura, benzimentos, chás, consultas, exames e medicamentos, a fé se constitui em um componente essencial para os filhos de Santa Teresa.

 

Biografia do Autor

Rosinete de Jesus Silva Ferreira, UFMA

Mestre em Comunicação Social e Cultura (UFRJ), Doutora em Psicologia Social (UERJ). Professora do Departamento de Comunicação Social da Universidade Federal do Maranhão (DECOM/UFMA) e integrante do Programa de Pós-Graduação em Psicologia PPGPSI Coordenadora do Núcleo de Estudos e Estratégias em Comunicação (NEEC) e coordenadora da Linha de Pesquisa em Estratégias Audiovisuais na Convergência (G-PEAC). E-mail: rosinete.ferreira@ufma.br.

Cleyciane Pereira, UFPB

Mestre em Ciência da Informação (UFPB), Doutora em Ciência da Informação (UFBA). Bibliotecária da UFPB.  Integrante do Grupo de Pesquisa COMPORTI, UFBA; do GEINCOS, UFPB e da Linha 2 do Grupo de Pesquisa Ciência, Saúde, Gênero e Sentimento - CISGES/UNISA/CNPq. E-mail: cley.pereira20@gmail.com.

Referências

AMPHILO, M. I. Folkcomunicação: por uma teoria da comunicação cultural. Anuário Unesco/Metodista de Comunicação Regional, São Paulo, v. 15, n. 15, p. 193-212, jan./dez. 2011. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/AUM/article/view/4740.

BELTRÃO, L. Folkcomunicação: a comunicação dos marginalizados. São Paulo: Cortez, 1980.

BELTRÃO, L. Folkcomunicação: teoria e metodologia. São Bernardo do Campo: UMESP, 2004.

BELTRÃO, L. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de ideias. Porto Alegre; Editora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2001.

BELTRÃO, L. O ex-voto como veículo jornalístico. In: MELO, J. M. de M., FERNANDES, G. M. (org.). Metamorfose da folkcomunicação: antologia brasileira. São Paulo: Editae Cultural, 2013.

CANTENHEDE, D. Liderança feminina no quilombo de Itamatatiua, no município de Alcântara – MA. 2006. Monografia (Graduação) – Curso de Pedagogia da Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2006.

CANTANHEDE FILHO, A. Tamatatiua: relatório antropológico. São Luís: Sociedade Maranhense de Defesa dos Direitos Humanos, 1997.

COULON, A. Etnometodologia. Petrópolis: Vozes, 1995.

DIAS, G. et al. (org.) A contemporaneidade do pensamento de Abdelmalek Sayad. São Paulo: EDUC, 2020. E-book. 9786587387079. Disponível em: https://www.pucsp.br/educ/downloads/Abdelmalek_Sayad.pdf.

FERREIRA, R. Nas tramas de Itamatatiua: representações sociais, práticas de saúde e as trocas comunicativas dos filhos de Santa Teresa. 2012. Tese (Doutorado em Psicologia Social) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

GRIJÓ, W. P. Comunicação e Cultura: a comunicação oral como instrumento de construção da identidade negra. Revista Internacional de Folkcomunicação, Ponta Grossa, PR, v. 6, n. 12, 2008. Disponível em: http://www.revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/640. Acesso em: 10 ago. 2017.

GRIJÓ, W. P. Mídia e Cultura: um estudo da televisão e da identidade no quilombo de Itamatatiua. 2010. 188 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Góias, Goiânia, 2010.

KAWAGUCHI, R. C. C. Festas, folkcomunicação e religiosidade popular nas comunidades caiçaras e quilombolas de Cananeia (SP). Anuário Unesco/Metodista de Comunicação Regional, ano 19, n. 19, p. 289-302, jan./dez. 2015. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/AUM/article/view/7136/5470.

MATTERLAT, A. A globalização da comunicação. Florianopólis: Edusc, 2000.

MOLINA, S. R. A morte da tradição: a Ordem do Carmo e os escravos de Santa contra o Império do Brasil (1850-1889). 2006. 309f. Dissertação (Mestrado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, São Paulo, 2006.

MOTA, C. C. S. Tambor em Itamatatiua: expressão e prática social. 2004. 54 f. Monografia (Bacharel em Comunicação Social) – Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2004.

OLIVEIRA, M. J. S. de. O Símbolo e o ex-voto em Canindé. Revista de Estudos da Religião, São Paulo, v. 3, p. 99-107, 2003. Disponível em: https://www.pucsp.br/rever/rv3_2003/p_oliveira.pdf.

PASSOS, E., KASTRUP, V., ESCÓSSIA, L. da. (org.). Pistas do Método da Cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina, 2009.

PEREIRA, C. C. M. Mitos da cultura africana: elementos de informação e preservação da memória na Comunidade Quilombola Alcantarense de Itamatatiua. 2011. 127 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2011.

PEREIRA, C. C. M. Necessidades informacionais das mulheres da Comunidade Quilombola de Itamatatiua. Maranhão. 2018. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Instituto de Ciência da Informação, Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2018.

QUEIROZ, G. C. Igreja Católica e Estado do Maranhão Colonial (1750-1755). 2007. 70f. Monografia (Licenciatura em História) - Universidade Estadual do Maranhão, São Luís, 2007.

REIS, M. das G. O. Filhos da Santa, terras de negro numa arqueologia quilombola: as dinâmicas de um território chamado Itamatatiua. 2010. Dissertação (Mestrado em Arqueologia Pré-Histórica e Arte Rupestre) - Instituto Politécnico de Tomar – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal, 2010.

SANTOS, S. A. dos. A recepção como produção de sentido na comunicação: a recepção televisiva na Comunidade afrodescendente de Itamatatiua. 2007. Monografia (Bacharel em Radialismo) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís, 2007.

SÁ, L. M. O pão da terra: propriedade comunal e campesinato livre na Baixada Ocidental maranhense. 1975. 154f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Programa de Pós-graduação em Antropologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1975.

SÁ, Laís Mourão. O pão da Terra: propriedade comunal e campesinato livre da Baixada ocidental maranhense. São Luís: EDUFMA, 2007.

SANTA Teresa D’Ávila de Jesus. Disponível em: http://santo.cancaonova.com/santo/santa-teresa-de-avila-santa-teresa-de-jesus/.

Downloads

Publicado

2022-07-23

Como Citar

FERREIRA, R. de J. S.; PEREIRA, C. C. . M. . Fé e Saúde: a relação construída entre os itamatatiuenses e a Santa Teresa D’Ávila de Jesus. Revista Internacional de Folkcomunicação, [S. l.], v. 20, n. 44, p. 243–261, 2022. DOI: 10.5212/RIF.v.20.i44.0013. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/19540. Acesso em: 12 ago. 2022.