Alô, Comunidade

Narrativas folkmidiáticas sobre o Monte Serrat, em Florianópolis (SC)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5212/RIF.v.20.i45.0008

Palavras-chave:

Folkcomunicação, Folkmídia, Televisão, Comunidades, Jornal do Almoço

Resumo

Este artigo examina o quadro Alô Comunidade, que integra o telejornal local Jornal do Almoço, sob o olhar teórico da Folkcomunicação. Para isso, analisa as características centrais do quadro e identifica marcas folkmidiáticas em duas reportagens que tecem narrativas sobre o Monte Serrat, comunidade situada no Maciço do Morro da Cruz, região central da Ilha de Santa Catarina. A análise identifica a presença de elementos folkmidiáticos associados a essas produções telejornalísticas e reflete sobre as potencialidades e os limites desse espaço para a promoção das culturas populares.

Biografia do Autor

Cintia Xavier, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutora em Comunicação pela Unisinos. Professora do curso de Jornalismo e do Mestrado em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa. Possui graduação em Comunicação Social Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (1995) e mestrado em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná (2004).

Referências

ALÔ comunidade visita o Morro da Caixa, em Florianópolis. Produção: Edsoul Amaral. Globoplay. 16 jul. 2016. 5’33”. Disponível em: https://globoplay.globo.com/v/5168401/?s=0s.

BELTRÃO, Luiz. Folkcomunicação: um estudo dos agentes e dos meios populares de informação de fatos e expressão de idéias. Porto Alegre. EIPUCRS, 2001.

CONFIRA o quadro Alô Comunidade desta segunda-feira. Produção: Edsoul Amaral. Globoplay. 17 jun. 2019. 3’56”. Disponível em: https://globoplay.globo.com/v/7698233/?s=0s.

CULLETON, Billy. Morro do centro com caixa d’água desde 1910, e que só teve água encanada 70 anos depois, ganha primeira praça. Floripa Centro, 2019. Disponível em: https://floripacentro.com.br/morro-do-centro-com-caixa-dagua-desde-1910-e-que-so-teve-agua-encanada-70-anos-depois-ganha-primeira-praca/.

FIGUEIREDO, Carlos. Nem comunitário, nem público. O jornalismo de prestação de serviço da rede globo. In: Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 38, 2015, Rio de Janeiro (Anais). Disponível em: https://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumos/R10-1869-1.pdf.

FONSECA JÚNIOR, Wilson Corrêa. Análise de conteúdo. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (org). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2017.

MAIA, Cauane Gabriel Azevedo. A revolução vem do pastinho: escrevivências antropológicas sobre vozes negras em Florianópolis. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Florianópolis, 2019.

MARQUES DE MELO, José. Folkcomunicação. In: GADINI, Sergio Luiz; WOITOWICZ, Karina Janz (org). Noções básicas de folkcomunicação: uma introdução aos principais termos, conceitos e expressões. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2007.

MARTÍN-BARBERO, Jesus. Diversidade em convergência. Revista Matrizes. São Paulo, USP. V. 2, N°8, jul/dez, 2014. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/matrizes/article/view/90445.

NSC TV. Quadro 'Alô Comunidade' completa 10 anos no Jornal do Almoço da NSC TV. Rede Globo, 2021. Disponível em: https://redeglobo.globo.com/sc/nsctv/noticia/quadro-alo-comunidade-completa-10-anos-no-jornal-do-almoco-da-nsc-tv.ghtml.

NUNES, Karla Leonora Dahse. Antonieta de Barros: uma história. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-Graduação em História. Florianópolis, 2001.

PERUZZO, Cicilia Maria Krohling. Televisão comunitária: dimensão pública e participação cidadã na mídia local. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

ROVIDA, Maria. Jornalismo das periferias: uma pesquisa de campo na Região Metropolitana de São Paulo. Revista Famecos, Porto Alegre, vol. 27, p. 1-11, jan.-dez. 2020.

SANTOS, André Luiz. Do mar ao morro: a geografia histórica da pobreza urbana em Florianópolis. Tese (doutorado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Geografia, Florianópolis, 2009.

SANTOS, Carlos Roberto Praxedes.; MUNEIRO, Liliam. Os 50 anos da televisão em Santa Catarina: concentração de mídia e de audiência. In: Anais do XII Encontro Nacional de História da Mídia. Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia. 19 a 21 jun. 2019. Natal (RN): UFRN, 2019. Disponível em: http://www.ufrgs.br/alcar/encontros-nacionais-1/encontros-nacionais/12o-encontro-2019/gt-historia-das-midias-audiovisuais/os-50-anos-da-televisao-em-santa-catarina-concentracao-de-midia-e-de-audiencia/view.

SANTOS, Milton. O espaço dividido: os dois circuitos da economia urbana dos países subdesenvolvidos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

TRIGUEIRO, Osvaldo. O ativista midiático da rede folkcomunicacional. In: Revista Internacional de Folkcomunicação. Ponta Grossa, vol. 4, n. 7, jan./jun., 2006. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/18667.

TORRES, Aline. Dona Uda Gonzaga é uma liderança na autoestima do Monte Serrat. Online. ND Mais, 2016. Disponível em: https://ndmais.com.br/noticias/serie-engajados-dona-uda-gonzaga-e-uma-lideranca-na-autoestima-no-monte-serrat/.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

MAURER, C.; XAVIER, C. Alô, Comunidade: Narrativas folkmidiáticas sobre o Monte Serrat, em Florianópolis (SC) . Revista Internacional de Folkcomunicação, [S. l.], v. 20, n. 45, p. 145–161, 2022. DOI: 10.5212/RIF.v.20.i45.0008. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/21117. Acesso em: 25 jun. 2024.