MULTILITERACIES, ENGLISH AS A LINGUA FRANCA AND TRANSLINGUAL PRACTICES: OPENING PANDORA’S BOX

MULTILETRAMENTOS, INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA E PRÁTICAS TRANSLINGUES: ABRINDO A CAIXA DE PANDORA

Autores

  • Isabel Cristina Vollet Marson Universidade Estadual de Ponta Grossa https://orcid.org/0000-0003-4917-264X
  • Clarissa Menezes Jordão Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Resumo

Este artigo apresenta os resultados de uma pesquisa qualitativa, cujo objetivo foi investigar como professores e licenciandos do curso de Letras Português-Inglês percebiam suas práticas locais envolvendo os multiletramentos, o inglês como língua franca (ILF) e as práticas translingues. A análise de dados indicou que os participantes conceberam os multiletramentos como recursos de ensino, e não como uma perspectiva sobre o que são as línguas e como elas funcionam. A proficiência estava ligada geralmente ao uso correto da “norma” e à emulação do construto do falante nativo. No entanto, ao se referir à inteligibilidade, os participantes declararam valorizar a importância de poder negociar significados em cada situação interativa, associando a inteligibilidade ao inglês como língua franca.  As práticas translingues foram consideradas consequências do mau domínio do inglês e devem ser evitadas e corrigidas, principalmente quando acontecem por escrito. Como antecipamos, os participantes não eram um todo coerente em sua práxis relacionada ao ensino aprendizagem do inglês, pois pareciam valorizar visões contraditórias da língua, dependendo da situação que apresentávamos a eles. Essa descoberta mostra que eles se mostraram sensíveis ao contexto e dispostos a valorizar sua importância em sua práxis.

 

Biografia do Autor

Isabel Cristina Vollet Marson, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Isabel Cristina Vollet Marson é Licenciada em Letras Português-Inglês pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2001), Especialista em Ensino-Aprendizagem de Línguas Estrangeiras (2004) pela mesma universidade, Mestre em Educação pela Universidade Tuiuti do Paraná (2007) e Doutora em Letras pelo Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Paraná (2019). Participou do Programa de Doutorado-Sanduíche no Exterior (PDSE) da CAPES na Penn State University, University Park, Pennsylvania, nos Estados Unidos da América de agosto de 2018 a fevereiro de 2019. Atua como professora efetiva do Departamento de Estudos da Linguagem na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), bem como Coordenadora do projeto de pesquisa continuada "Formação de Professores, Multiletramentos e Inglês como Língua Franca". Seus interesses de pesquisa são na área de ensino-aprendizagem de Língua Inglesa, formação de professores, multiletramentos, inglês como língua franca, práticas translíngues, tecnologias de informação e comunicação, internacionalização das universidades, ambientes virtuais de aprendizagem e educação a distância.

Clarissa Menezes Jordão, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Doutora em Letras - Língua Inglesa e Literaturas Inglesa e Norte-Americana pela USP (2001), mestre em Literaturas de Língua Inglesa pela Universidade Federal do Paraná (1992) e graduada em Letras Português e Inglês pela Universidade Federal do Paraná (1986), realizou pós-doutorados em globalização e estudos culturais na Universidade de Manitoba, em Winnipeg, Canadá (2007), e em formação crítica de professores de línguas no Glendon College, Universidade de York (2013), ambos com bolsa da CAPES. Atualmente é professora sênior no Programa de Pós Graduação em Letras da UFPR, e está aposentada como professora titular de Língua Inglesa e Lingüística Aplicada. Na UFPR também coordena o Grupo de Pesquisa Identidade e Leitura da UFPR. Participa ainda de outros dois grupos de pesquisa: (1) Novos letramentos, multiletramentos e o ensino de línguas estrangeiras, liderado por Lynn Mario Trindade Menezes de Souza e Walkyria MonteMór; e (2)Rede de Pesquisas em Inglês como Língua Franca no Brasil, que tem como líder Telma Gimenez. Clarissa Menezes Jordão tem experiência na área de formação inicial e continuada de professores de línguas estrangeiras, tendo atuado constantemente junto a professores de língua inglesa nas escolas públicas do Paraná. Seus principais interesses de pesquisa giram em torno dos seguintes temas: letramento crítico e ensino de línguas e literaturas estrangeiras; inglês como língua franca; internacionalização do ensino superior; formação de professores de línguas estrangeiras; práxis pós-estruturalista, pós-colonial e decolonial, especialmente ligada a noções de discurso e representação.

Publicado

2022-07-04

Como Citar

MARSON, I. C. V.; JORDÃO, C. M. MULTILITERACIES, ENGLISH AS A LINGUA FRANCA AND TRANSLINGUAL PRACTICES: OPENING PANDORA’S BOX : MULTILETRAMENTOS, INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA E PRÁTICAS TRANSLINGUES: ABRINDO A CAIXA DE PANDORA. Muitas Vozes, [S. l.], v. 11, 2022. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/muitasvozes/article/view/19823. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos