Do Pacto Andino à Aliança do Pacífico: reflexões sobre mecanismos da (des)integração da sub-região andina

Autores

Resumo

A proposta deste artigo é apresentar reflexões sobre os principais mecanismos de integração regional da região andina. Em efeito, temos dois objetivos principais, quais sejam: primeiro, empreender uma linha histórica das dinâmicas de integração sub-regional protagonizadas pelos países andinos entre 1969 e 2019; segundo, apresentar uma análise comparativa entre esses mecanismos, buscando identificar seus pontos de convergência e de divergência, as instituições criadas no âmbito da regionalização andina, bem como os projetos de integração que se sucederam nessa sub-região da América do Sul ao longo das últimas décadas. Apresentaremos ainda considerações sobre a atual situação da integração andina a partir de conceitos caros às teorias da integração regional. No tocante às fontes de dados, elas foram constituídas de material bibliográfico (artigos e capítulos de livros) e documentos oficiais disponíveis nos sites dos mecanismos de integração andina. Quanto aos resultados, alguns elementos apontam para uma possível desintegração andina: ausência de paymaster na região, forças comerciais centrífugas (Estados Unidos, União Europeia e China), sobreposição de distintos projetos de integração, divergências político-ideológicas entre os países andinos, não complementaridade e assimetria das economias dos países andinos. Eventual debilidade institucional dos mecanismos de regionalização e a busca de parceiros comerciais fora do bloco não implicam desconsiderar o esforço histórico dos países andinos pela integração regional.

Biografia do Autor

Ronald Clay dos Santos Ericeira, UFRRJ

Possui Doutorado em Ciências Humanas (Antropologia Cultural) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009) e Doutorado em Psicologia Social pela UERJ (2010). Mestrado em Ciências Sociais (Antropologia) em 2005 pela UFMA e possui graduação em Psicologia pela UFMA (2001) e está concluindo o bacharelado em Relações Internacionais (UERJ). Realizou Pós-Doutorado em Psicologia na Universidade de Genebra (Suíça) como bolsista CAPES (2015). É Professor Associado no Departamento de Psicologia e docente do Programa de Pós-Graduação em Psicologia na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). Tem experiência na área de Psicologia e de Antropologia, investigando principalmente os seguintes temas: direitos humanos, cultura popular, religião e memória social. É membro da Associação Brasileira de Psicologia Social. Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (UFRRJ) período 2017-2021. Atualmente é vice-coordenador do PPGPSI-UFRRJ 2021-2023.

Referências

BRASIL. Relatório do Ministério da Marinha apresentado ao Presidente da República pelo Ministro Alexandrino Faria de Alencar em maio de 1923. Rio de Janeiro: Imprensa Naval, 1923. Disponível em: <http://ddsnext.crl.edu/titles/>. Acesso em: abr. 2020.

DAVIES, Ronald Edward George. Airlines of Latin America Since 1919. Washington, DC: Smithsonian Institution Press, 1984.

GOULARTI FILHO, Alcides. Formação do complexo e do sistema estatal catarinense. In: VII Jornadas Uruguayas de História Económica. Montevidéu: AUDHE, dez. 2019.

GOULARTI FILHO, Alcides. Formação econômica de Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC, 2016.

GOULARTI FILHO, Alcides. Porto, ferrovias e navegação em Santa Catarina. Florianópolis: Editora da UFSC, 2013.

PILEGGI, Aristides. VASP: seus dez primeiros anos de vida. In: Revista do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo. São Paulo: IHGSP, v. LXXVIII, p. 323-362, 1982.

TAYLOR, John William Ransom. A evolução da aviação. São Paulo: Melhoramentos, 1982.

Downloads

Publicado

2021-12-06

Como Citar

SANTOS ERICEIRA, R. C. dos. Do Pacto Andino à Aliança do Pacífico: reflexões sobre mecanismos da (des)integração da sub-região andina. Revista de História Regional, [S. l.], v. 26, n. 2, 2021. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/rhr/article/view/17271. Acesso em: 26 jun. 2022.