A “nobreza agrária das Terras Frias”: análises preliminares das estratégias políticas, sociais e econômicas de Dimas Ferreira Pedrosa (Nova Friburgo/RJ - Séc. XIX)

Autores

Resumo

O artigo tem como objetivo caracterizar o arranjo produtivo local das “Terras Frias”, voltado para o abastecimento de gêneros alimentícios do mercado interno, na segunda metade do século XIX. Para tal, tomando como referencial o debate sobre abastecimento e estudos regionais iniciado pela história agrária e os pressupostos da micro-história, aborda-se a trajetória de um importante agente local: Dimas Ferreira Pedrosa. Utilizando-se de jornais de época, documentação cartorial e eclesiástica, entende-se que, por meio da análise das suas estratégias políticas, econômicas e sociais, seja possível escrutinar não somente as características agrícolas, como os valores que orientaram as ações de grupos abastados da Província Fluminense, no Brasil Imperial. Por fim, o texto propõe uma discussão sobre as possibilidades de classificação socioeconômica de um sujeito que foi político, negociante, fazendeiro, e senhor de escravos que, apesar de não fazer parte da nobreza titulada, viveu e/ou procurou viver como ela.  

Biografia do Autor

Gabriel Almeida Frazão, Instituto Federal Fluminense e Pesquisador do INCT Proprietas

Doutor em Sociologia Rural pelo CPDA/UFRRJ. Mestre em História Social pela Universidade Federal Fluminense. Professor de História do Instituto Federal Fluminense, no Campus Cambuci. No campo da pesquisa histórica possui experiência nos temas: Administração, Redes de Poder no Brasil colonial, História Agrária e Regional (Região Serrana o Rio de Janeiro) no Brasil Imperial. Em sociologia, desenvolveu reflexões relacionadas à Educação do Campo no século XX (principalmente no que diz respeito à Pedagogia da Alternância), políticas públicas relativas ao meio rural e extensão rural. É líder do Núcleo de Pesquisas e Estudos sobre as Ruralidades Fluminenses -CNPq/ IFF. Integra a Rede Proprietas, hoje INCT - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, projeto internacional: História Social das Propriedades e Direitos de Acesso (Disponível em: www.proprietas.com.br). Recentemente, concluiu Estágio de Pós-Doutorado no Instituto de História da Universidade Federal Fluminense, sob a supervisão da Prof.ª Dr.ª Márcia Motta.

Referências

ARAÚJO, João Raimundo de; LO BIANCO, Regina; COSTA, Ricardo Rosa da Gama (Org.) Teia Serrana II: novos temas e novas abordagens. Nova Friburgo: Marca Gráfica Editora, 2019.

ARAÚJO. João Raimundo. A construção do mito da suíça (1910-1960). 2003. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

BARTH, Fredrik. Scale and Social Organization. Oslo: Universitetforlaget, 1978.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand, 2010.

CARDOSO. Ciro Flamarion Santana. Agricultura, escravidão e capitalismo. Petrópolis: Vozes, 1979.

CASTRO, Hebe Maria Mattos de. Ao Sul da História: lavradores pobres na crise do trabalho escravo. Rio de Janeiro: Editoria FGV, 2009.

CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano. Vol. 1: Artes de fazer. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CORRÊA, Maria Janaína Botelho e SANTOS, Selmo de Oliveira. “Terras Frias: um ensaio sobre a reforma agrária na fazenda Rio Grande.” In. ARAÚJO, João Raimundo de; LO BIANCO, Regina; COSTA, Ricardo Rosa da Gama (Orgs.) Teia Serrana II: novos temas e novas abordagens. Nova Friburgo: Marca Gráfica Editora, 2019, p. 105-129.

COSTA, Ricardo Gama da Costa e Guimarães, Fernanda. (Orgs.) Memórias do legislativo Friburguense: 200 anos de história da Câmara Municipal. Nova Friburgo: Gráfica Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, 2020.

DÁLIA, Jaqueline de Moraes Thurler. Aspectos fonéticos da variação linguística-identitárias das comunidades rurais do 3º Distrito de Nova Friburgo-RJ. A cor das Letras, Feira de Santana (BA), v. 19, n. Especial, p. 40-63, mar. 2018. Disponível em: http://periodicos.uefs.br/index.php/acordasletras/article/view/2858. Acesso em: 20 agosto de 2020.

FARIA, Sheila de Castro. A colônia em movimento: fortuna e família no cotidiano colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1998;

FARIA, Sheila de Castro. Terra e trabalho em Campos dos Goitacases (1850-1920). 1986. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói;

FARIA. Sheila de Castro. “Ouro, porcos, escravos e café: as origens das fortunas oitocentistas em São Pedro de Cantagalo, Rio de Janeiro (últimas décadas do século XVIII e primeiras do XIX)”. Anais do Museu Paulista. São Paulo, Nova Série, v.26, 2018, p. 1-23.

FÉO, Roberto. Raízes de Teresópolis: outras histórias e outras coisas. Teresópolis: Zen, 2010.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História de famílias: casamentos, alianças e fortunas. Rio de Janeiro: Léo Christiano, 2008.

FILHO, Heitor Plínio de Moura. Câmbio de longo prazo do mil-réis: uma abordagem empírica referente às taxas contra a libra esterlina e o dólar (1795-1913). Cadernos de História, Belo Horizonte, v. 11, n. 15, jul.-dez. 2010, p. 9-34. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/P.2237-8871.2010v11n15p9. Acesso em: 20 dezembro de 2020.

FRAGOSO, João. Homens de Grossa Ventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro/FAPERJ/Jorge Zahar Editor, 2008.

FRAGOSO, João. Os barões do café e o sistema agrário escravista: Paraíba do Sul/Rio de Janeiro (1830-1888). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2013.

FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima (Orgs.) O Antigo Regime nos Trópicos: a dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata. São Paulo: UNESP,1997. LENHARO, Alcir. As Tropas da Moderação. O Abastecimento da Corte na Formação Política do Brasil - 1808-1842. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, 1992.

FRAZÃO, Gabriel Almeida. “A Serviço da Formação do Jovem Rural": Desafios e Contradições na Atuação do CEFFA CEA Rei Alberto I Como Agente do Desenvolvimento do Meio. 2015. Tese (Doutorado em Sociologia Rural) - Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica (RJ).

FRAZÃO, Gabriel Almeida. “Caminhos e descaminhos de um político local: considerações sobre as estratégias e a trajetória de Dimas Ferreira Pedrosa (Nova Friburgo – 1844-1882).”. In. COSTA, Ricardo Gama da Costa e Guimarães, Fernanda (Orgs). Memórias do legislativo Friburguense: 200 anos de história da Câmara Municipal. Nova Friburgo: Gráfica Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, 2020, p. 75-95.

FRAZÃO, Gabriel Almeida. Um negociante das -Terras Frias-: uma análise das estratégias de aquisição fundiária do português Antonio José Mendes (Nova Friburgo, 1860-1914). REVISTA MARACANAN, v. 1, p. 59-82, 2020.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

GUIMARÃES, Lucia Bastos Pereira. “Colégio Pedro II” In VAINFAS, Ronaldo. (Org.) Dicionário do Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, p.347-348.

GUIMARÃES, Lúcia Bastos. “Nobreza” In. VAINFAS, Ronaldo (Org.) Dicionário do Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, p. 553-555;

ISOLDI, Maria Celma Exner Godoy e FILHO, Carlos Alberto da Silveira Isoldi. Algumas famílias povoadoras do Alto do Rio das Velhas: Ferreira Pedrosa, Aguiar, Pereira Lima e Rodrigues Peixoto, p. 291. Revista da ASBRAP, n.º26, 2019. Disponível em: www.asbrap.or.br/documentos/revistas/rev_26_2019/k-algumas_familias_povoadoras_do_alto_rio_das_velhas_isoli.pdf Data de acesso 24/02/2020.

LEVI, Giovanni. A herança imaterial: trajetória de um exorcista no Piemonte do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

LIMA, Daniel Leite. Carmo no Século XIX: o arraial, a vila, e a cidade oitocentista de Nossa Senhora do Monte do Carmo. Gráfica e Editora Ried LTDA. 2º Edição: Rio de Janeiro: 2020, p. 467-478.

LINHARES, Maria Yeda e SILVA, Francisco Carlos Teixeira. História da Agricultura Brasileira: combates e controvérsias. São Paulo: Brasiliense, 1981.

LISBOA, Edson Castro. Café e escravidão em Nova Friburgo no século XIX. In: MAYER. Jorge Miguel; ARAÚJO, João Raimundo (Orgs.). Teia Serrana: formação histórica de Nova Friburgo. Rio de Janeiro: Editora ao Livro Técnico, 2003, p. 81-105.

MACHADO, Marina Monteiro. Entre fronteiras: posses e terras indígenas nos sertões (Rio de Janeiro, 1790-1824). Guarapuava, RJ: Unicentro, 2012.

MARQUESE, Rafael de Bivar. A dinâmica da escravidão no Brasil: resistência escrava, tráfico negreiro e alforrias, séculos XVII a XIX. Novos Estudos. Volume 4. Cebrap: São Paulo, 2006.

MARQUESE, Rafael e TOMICH, Dale. “O Vale do Paraíba escravista e a formação do mercado mundial do café no século XIX.” In. MUAZE, Mariana e SALLES, Ricardo (org.). O Vale do Paraíba e o império do Brasil nos quadros da segunda escravidão. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2015.

MARRETO, Rodrigo Marins. “Insurgência Escrava na Vila de Nova Friburgo (1820-1850)”. In ARAÚJO, João Raimundo de; LO BIANCO, Regina; COSTA, Ricardo Rosa da Gama (Org.) Teia Serrana II: novos temas e novas abordagens. Nova Friburgo: Marca Gráfica Editora, 2019, p. 77-104.

MARRETO, Rodrigo Marins e FRAZÃO, Gabriel Almeida. ““Em benefício da elegância e a salubridade pública”: Jean Bazet e a boa sociedade imperial na vila de Nova Friburgo (1828-1852).” In. COSTA, Ricardo Gama da Costa e Guimarães, Fernanda (Orgs). Memórias do legislativo Friburguense: 200 anos de história da Câmara Municipal. Nova Friburgo: Gráfica Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, 2020, p. 57-74.

MARRETTO, Rodrigo Marins. “Migrantes do império do Brasil: a trajetória de Jean Bazet nas origens da Vila de Nova Friburgo, 1820-1858”. Saeculum. João Pessoa, v. 33, jul-dez.2015, p. 13-30.

MARRETTO, Rodrigo Marins. A escravidão velada: senhores e escravos na formação da Vila de São João Batista de Nova Friburgo (1820-1850). Rio de Janeiro: Revan, 2018.

MARRETTO, Rodrigo Marins. O opulento capitalista: café e escravidão na formação do patrimônio familiar do Barão de Nova Friburgo. (1829-1873). 2019. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

MATTOS, Ilmar Rohloff e GONÇALVES, Márcia de Almeida. O Império da Boa Sociedade: a consolidação do Estado Imperial Brasileiro. São Paulo: Atual, 1991.

MATTOS, Ilmar Rohloff. O Tempo Saquarema: a formação do Estado Imperial. Rio de Janeiro: Acess, 1999.

MATTOSO, Kátia M. de Queirós. Bahia, século XIX: uma província do Império. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

MAUAD, Ana Maria. “Imagem e autoimagem do Segundo Reinado”. In. ALENCASTRO, Luiz Felipe. (Org.) História da Vida Privada no Brasil, Vol. 2. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

MAYER, Jorge Miguel. Raízes e crises do mundo caipira: o caso de Nova Friburgo. 2003. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

MAYER. Jorge Miguel; ARAÚJO, João Raimundo (Orgs.) Teia Serrana: formação histórica de Nova Friburgo. Rio de Janeiro: Editora ao livro Técnico, 2003.

MELLO, Evaldo Cabral. A fronda dos mazombos: Nobres contra mascates, Pernambuco, 1666-1715. São Paulo: Editora 34, 2003.

MOTTA, Márcia Maria Menendes. “História Agrária” In MOTTA, Márcia Maria Menendes (Org.). Dicionário da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, p. 239-240.

MOTTA, Márcia Maria Menendes. MOTTA. Nas fronteiras do poder: conflito e direito à terra no Brasil do século XIX. Niterói, RJ: EdUFF, 2008.

MOTTA, Márcia Maria Menendes. Pelas Bandas d’Além: fronteira fechada e arrendatários escravistas em uma região policultora. 1989. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói.

NEVES, Guilherme Pereira. “Homens Bons” IN. VAINFAS, Ronaldo (ORG.) Dicionário do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000, pp. 284-286.

OLIVEIRA, Victor Pereira. Repensando o rural sob o prisma das ruralidades, em Nova Friburgo, RJ. Curitiba: CRV, 2011.

PEDRO, José Carlos. A Colônia do “Morro Queimado”: suíços e luso-brasileiros na Freguesia de São João Batista de Nova Friburgo (1820-31). 1999. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

PEDROZA, Manuela. Engenhocas da Moral: redes de parentela, transmissão de terras e direitos de propriedade na freguesia de Campo Grande (Rio de Janeiro, século XIX). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011.

PROENÇA, Ane Thereza de Almeida. “Senhor vereador doutor: as frentes de atuação de Carlos Éboli na Câmara Municipal de Nova Friburgo.” In. COSTA, Ricardo da Gama e GUIMARÃES, Fernanda. Memórias do legislativo Friburguense: 200 anos de história da Câmara Municipal. Nova Friburgo: Gráfica Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais, 2020, p. 95-114.

PRÓ-MEMÓRIA. Nova Friburgo: notas e informações. Nova Friburgo, RJ: Prefeitura Municipal de Nova Friburgo, 1985.

REVEL, Jacques (Org.). Jogos de escala: a experiência da microanálise. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1998.

SALLES, Ricardo. E o Vale era o escravo: Vassouras, século XIX. Senhores e escravos no coração do Império. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

SAMPAIO, Sérgio Bittencourt. O Hotel Salusse em Nova Friburgo. Núcleo familiar, político e social. Rio de Janeiro: Imprimatur, 2009, p. 54.

SARAIVA, Luiz Fernando. O espaço da Nobreza: hierarquia e poder em Minas Gerais, no século XIX. Revista Maracanã. Nº19. Jul-Dez, 2018;

SILVA, Francisco Carlos Teixeira da. A formação social da miséria: Porto da Folha no sertão do São Francisco (1820-1920). 1º Ed. Rio de Janeiro: Autografia, 2018.

SILVA, Francisco Carlos Teixeira da; LINHARES, Maria Yedda. Região e história agrária. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 8, n. 15, p. 17-26, 1995.

SILVA, Maria Beatriz Nilza da. Ser nobre na colônia. São Paulo: Unesp, 2005.

Downloads

Publicado

2021-12-06

Como Citar

ALMEIDA FRAZÃO, G. A “nobreza agrária das Terras Frias”: análises preliminares das estratégias políticas, sociais e econômicas de Dimas Ferreira Pedrosa (Nova Friburgo/RJ - Séc. XIX). Revista de História Regional, [S. l.], v. 26, n. 2, 2021. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/rhr/article/view/17378. Acesso em: 27 jun. 2022.