TEORIA DOS DIFERENCIAIS COMPENSATÓRIOS COMO DETERMINANTE DOS DIFERENCIAIS DE REMUNERAÇÃO ENTRE GÊNEROS NO BRASIL

Autores

Resumo

O presente artigo busca estimar os diferenciais de rendimento entre os gêneros sobre o prisma da teoria dos diferenciais compensatórios. Avaliando o rendimento como decorrente da qualificação da mão de obra e do gênero, não caracterizando necessariamente o diferencial de rendimento entre os gêneros como um processo de discriminação social, mas um comportamento natural de uma economia de livre mercado no qual o agente econômico escolhe qual ocupação adentrar condizentes com suas habilidades e preferencias frente ao risco e agradabilidade da ocupação. Os dados foram subtraídos da PNAD contínua 2012 e 2019, na qual foi realizado um comparativo dos resultados para os dois anos. O resultado demonstrou que dentro de um estrato social homogêneo para trabalhadores formais que trabalham 40 a 44 horas semanais, o diferencial de rendimento entre gêneros apresentou resultado relativamente mais baixo que o convencionalmente demonstrado na literatura, além de apresentar queda entre os anos em análise.

Downloads

Publicado

09-12-2022

Como Citar

FILIZZOLA COSTA, M. .; DE OLIVEIRA, E. P. . TEORIA DOS DIFERENCIAIS COMPENSATÓRIOS COMO DETERMINANTE DOS DIFERENCIAIS DE REMUNERAÇÃO ENTRE GÊNEROS NO BRASIL. Revista ADMPG, [S. l.], v. 12, n. 1, 2022. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/admpg/article/view/21156. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos