Marcas intervencionistas de mudança social em impressos do interior do Rio Grande do Sul: quando o local canta sua aldeia

Autores

  • Geder Luis Parzianello Universidade Federal do Pampa

DOI:

https://doi.org/10.5212/RIF.v.20.i45.0006

Palavras-chave:

Jornalismo do Interior, Folkcomunicação, Jornalismo impresso

Resumo

Talvez nunca o jornalismo tenha se empenhado tanto em falar com seus públicos como durante e depois da Pandemia da Covid-19. O jornalismo do interior tem assumido, nesse sentido, um papel intervencionista e de transformação de suas comunidades, em parte neste contexto histórico. Este artigo é uma reflexão sobre marcas do empenho de mídias impressas do Noroeste e do Oeste gaúchos, respectivamente, na forma de uma pesquisa voltada a responder à pergunta sobre como mídias impressas destas regiões estejam praticando transformações em suas realidades numa perspectiva popular. Trata-se de uma investigação teórico-empírica, de base filosófica, em jornalismo, ancorada em trabalhos de e sobre Luiz Beltrão e que dialoga com a práxis profissional. Percorre traçados deixados pela tradição deste pesquisador pernambucano, pioneiro dos estudos de Jornalismo no Brasil, avança na relação de seus postulados com o jornalismo interiorano e caminha para concluir na direção de que o jornalismo de província é muito mais construtor de realidades que reprodutor delas, sendo o seu produto um objeto de estudo de interesse da Folkcomunicação.

Biografia do Autor

Geder Luis Parzianello, Universidade Federal do Pampa

É doutor em Comunicação Social pela PUCRS e pós-doutor em Medienwissenschaft pela Universität Paderborn, Alemanha (Bolsa Capes 2012/2013). Possui graduação em Comunicação Social - Jornalismo pela PUCRS e mestrado em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). É professor Associado da Universidade Federal do Pampa e professor do Mestrado Acadêmico em Comunicação (PPGC) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em João Pessoa, na Linha de Pesquisa Mídia, Cotidiano e Imaginário. Foi professor visitante (Gastprofessur) da Universität zu Köln na Renânia do Norte, Alemanha e pesquisador convidado da Universitá Degli Studi Roma Tre, na Itália.Tem experiência na área de Comunicação e Jornalismo, com ênfase em estudos teóricos e epistemológicos, atuando em temas como linguagem, discurso e retórica contemporânea.

Referências

ASSIS, Francisco de. Imprensa do Interior. Conceitos e contextos. Chapecó: Argos, 2013.

BARRETO, Luiz Antônio. Encontro Cultural de Laranjeiras, 20 anos. Sergipe, Fundação Estadual da Cultura, p. 39-43, 1994.

BELTRÃO, Luiz. Iniciação à Filosofia do Jornalismo. Rio: Agir Editora, 1960.

BELTRÃO, Luiz. Comunicação e Folclore. São Paulo, Melhoramentos, p. 11-16, 1971.

BRITTES, Juçara Gorski e MARQUES DE MELO, José. (Orgs). A Trajetória Comunicacional de Luiz Ramiro Beltrán. São Paulo: UNESCO/UMESP, 1997.

CANCLINI, Néstor Garcia. Consumidores e Cidadãos. Conflitos multiculturais da globalização. 4.ed. Rio: UFRJ, 1999.

DORNELLES, Beatriz e DOS REIS, Keila Mara. Do Espelho às Ondas do Rádio: a força da comunicação pela folkcomunicação. C&S. São Bernardo, v. 38, n. 3, p. 229-339, set./dez., 2016.

GOBBI, Maria Cristina. Estudos de Comunicação e Identidades Midiático-culturais na América Latina: condicionantes e perspectivas. Uma abordagem exploratória. São Paulo: Faac/Umesp, 2014.

GOBBI, Maria Cristina. Gêneros e Formatos: a web como espaço legitimado da folkcomunicação. Anuário Unesco/Metodista de Comunicação Regional. Ano 16, n. 16, p. 123-141, jan./dez. 2012.

GUSHIKEN, Yuji. Folkcomunicação nas transformações tecnológicas e midiáticas contemporâneas. Revista Mídia e Cotidiano, v. 15, n. 1, jan./abr. 2021.

HABERMAS, Jürgen. Teoria de la acción comunicativa: complementos y estudios previos. Madrid: Ediciones Cátedra, 2001.

MELO, José Marques de. De volta ao futuro: da Folkcomunicação à folkmídia. In: SCHMIDFT, Cristina. (Org.). Folkcomunicação na arena global. São Paulo: Ductor, 2006.

MELO, José Marques de; et al. Reflexões sobre temas de comunicação. São Paulo, ECA-USP, p. 73-75, 1972.

MELO, José Marques de. Luiz Beltrão, renovador do ensino de jornalismo no Brasil. Revista Brasileira de Ensino de Jornalismo (Rebej). Brasília, v. 1, n. 1, p. 26-40, abr/jul. 2007.

PERUZZO, Cicília M. Krohling. Culturas Populares na folkcomunicação e na Comunicação Popular, Comunitária e Alternativa: da decodificação mediática à resistência política. Revista Internacional de Folkcomunicação. Ponta Grossa/PR, v. 20, n. 44, p. 174-203, jan./jun. 2022.

PERUZZO, Cicília M. Krohling. Mídia local e suas interfaces com a mídia comunitária. Anuário Unesco de Comunicação Regional, São Bernardo do Campo, ano 6, n. 6, p. 51-78, 2002.

ROCHA, Heitor. Luiz Beltrão e a importância da intersubjetividade na Folkcomunicação: uma convergência possível com a teoria da ação comunicativa em Habermas. Quito, Equador. Razón y Palabra, México, n. 60, ano 13, enero/febrero 2008.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

PARZIANELLO, G. L. Marcas intervencionistas de mudança social em impressos do interior do Rio Grande do Sul: quando o local canta sua aldeia. Revista Internacional de Folkcomunicação, [S. l.], v. 20, n. 45, p. 107–126, 2022. DOI: 10.5212/RIF.v.20.i45.0006. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/folkcom/article/view/21108. Acesso em: 6 fev. 2023.