Territorialidades do capital bancário e as redes financeiras globais no século XXI

Autores

  • Ivan Jairo Junckes

Resumo

Este artigo analisa o processo de redefinição das territorialidades do capital bancário durante a reestruturação financeira ocorrida nos anos noventa no Brasil e sua relativa estabilização no início da primeira década do Século XXI. Verifica-se que a nova configuração das forças dos agentes do capital bancário no Brasil é fruto da desnacionalização conservadora que envolveu um programa público bilionário de permissividade à insolvência bancária e socialização de seus prejuízos, de refinadas táticas mercantis de sobrevivência desenvolvidas por parcela da elite bancária em operação no país, da subordinada redução da atuação dos bancos públicos e do correspondente crescimento da participação de redes financeiras globais no mercado brasileiro.

Biografia do Autor

Ivan Jairo Junckes

Ivan Jairo Junckes (ivanjj@uol.com.br) é doutor em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atualmente é professor da Faculdade União e desenvolve trabalhos na área de Planejamento e Gestão Pública, com ênfase em Política e Planejamento Governamentais, atuando principalmente nos seguintes temas: planejamento estratégico, administração pública, organização do trabalho, sindicalismo, planejamento e gerência de projetos. É integrante do Núcleo de Estudos Sociopolíticos do Sistema Financeiro (NESFI) da Universidade Federal de Santa Caratina.

Downloads

Como Citar

JUNCKES, I. J. Territorialidades do capital bancário e as redes financeiras globais no século XXI. Terr@ Plural, [S. l.], v. 1, n. 1, p. 39–65, 2007. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/1141. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos