A dimensão espacial do Movimento Mangue e a construção de uma identidade territorial: visões sobre o urbano e os locais de moradia

Autores

  • Maria Amélia Vilanova Neta Universidade Federal do Rio de Janeiro

Resumo

Este artigo discute o espaço urbano a partir de um processo de produção cultural, o Movimento Mangue, surgido na cidade do Recife no princípio da década de 1990. Chico Science é o compositor escolhido para representar este ideário cultural. A construção desse movimento cultural está intimamente relacionado com a criação e legitimação de símbolos espaciais através do conteúdo simbólico presente na paisagem e suas múltiplas significações. O movimento cultural foco do artigo constituiu-se num discurso sobre a cidade do Recife e assim o discurso comporta representações acerca desta mesma cidade.

Biografia do Autor

Maria Amélia Vilanova Neta, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Geógrafa do IBGE - Rio de Janeiro e Doutoranda da UFRJ

Downloads

Como Citar

VILANOVA NETA, M. A. A dimensão espacial do Movimento Mangue e a construção de uma identidade territorial: visões sobre o urbano e os locais de moradia. Terr@ Plural, [S. l.], v. 1, n. 2, p. 29–40, 2008. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/1150. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos