Território e prostituição travesti: uma proposta de discussão - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.2i1.041056

Autores

  • Marcio José Ornat UEPG

Resumo

O espaço geográfico é resultado de inter-relações, constituído através
de interações que possibilita a existência da multiplicidade. Por ser um produto social múltiplo, este pode ser analisado a partir de inúmeros recortes grupais e escalas espaço-temporais. É sob este prisma que este texto discute a possibilidade de pensarmos a atividade comercial sexual de um grupo específico, a luz de sua espacialidade distinta, o território. Tal pesquisa foca um grupo social que mediante táticas de conquistas espaciais ultrapassam as categorias de masculino e feminino. Desta forma, utilizamos uma abordagem da relação sujeito - território, problematizando as ações espaciais realizadas por este grupo focal e a dinâmica entre o território da prostituição e a travesti, contribuindo assim, com a produção da Geografia da Sexualidade.

Biografia do Autor

Marcio José Ornat, UEPG

Atualmente é professor colaborador da Universidade Estadual de Ponta Grossa, ministrando a disciplina de Cartografia. Como Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Geografia, Mestrado em Gestão do Território (UEPG) e pesquisador do Grupo de Estudos Territoriais (GETE - UEPG), vem desenvolvendo desde o ano de 2004 trabalhos relacionados a Geografia - Espaço Urbano - Gênero.

Downloads

Como Citar

ORNAT, M. J. Território e prostituição travesti: uma proposta de discussão - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.2i1.041056. Terr@ Plural, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 41–56, 2008. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/1163. Acesso em: 3 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos