O mosaico de vegetação remanescente em Piraí da Serra, Campos Gerais do Paraná: uma abordagem preliminar da fragmentação natural da paisagem - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.2i1.155168

Autores

  • Valquiria Martins Nanuncio Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Rosemeri Segecin Moro Universidade Estadual de Ponta Grossa

Resumo

Piraí da Serra representa uma área prioritária para a preservação devido as suas características peculiares e sua localização na Escarpa Devoniana, próximo ao cânion do Guartelá. A região de 51.200 ha, com predomínio de Florestas com Araucária e campos de altitude associados pertence ao bioma Mata Atlântica, um dos mais ameaçados do Brasil. Características naturais e antrópicas promoveram a fragmentação desses habitats nativos. Com o intuito de subsidiar futuras inferências sobre tais processos, esse artigo propõe-se a caracterizar a vegetação local. Com base em dados já existentes sobre o uso da terra, foram coletadas informações em campo referente à vegetação florestal e campestre. Nas áreas de campo seco e de afloramentos rochosos foram observados 83 táxons, distribuídos entre 33 famílias; nas áreas de campos úmidos, 12 táxons em 7 famílias; e nas áreas de cerrado, 65 táxons pertencentes a 30 famílias. Nas áreas florestadas, observou-se 74 táxons em 29 famílias. A análise reforça a necessidade de medidas mitigadoras que busquem frear a progressiva fragmentação dos habitats em Piraí da Serra.

Biografia do Autor

Valquiria Martins Nanuncio, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Bióloga, mestrando do Curso de Pós Graduação em Gestão do Território

Downloads

Como Citar

NANUNCIO, V. M.; MORO, R. S. O mosaico de vegetação remanescente em Piraí da Serra, Campos Gerais do Paraná: uma abordagem preliminar da fragmentação natural da paisagem - Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.2i1.155168. Terr@ Plural, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 155–168, 2008. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/1171. Acesso em: 26 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos