Anatomia interna de alguns molucos bivalves fósseis do grupo Bauru (cretáceo superior, Bacia Bauru), Brasil: implicações paleoecológicas. Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.4i1.113120

Autores

  • Renato Pirani Ghilardi Universidade Estadual Paulista- UNESP/Bauru
  • Maria da Saudade Araujo Santos Maranhão Rosa Instituto Geológico do Estado de São Paulo - IG-SMA-SP

Resumo

Análises mais detalhadas em espécies de moluscos bivalves do Grupo Bauru (Cretáceo Superior, Bacia Bauru), depositadas na coleção científica Sérgio Mezzalira (IG/SMA/SP), demonstram a preservação de feições musculares ainda não descritas para o táxon Anodontites nos estados de São Paulo e Minas Gerais. Tais feições, associadas à anatomia externa dos táxons, contribuem para o melhor entendimento do hábito de vida desses organismos dulciaquícolas que, provavelmente, estão intimamente relacionados às variações energéticas sazonais dos rios onde viviam. Apesar do registro esparso aqui notificado, as novas informações ampliam o panorama paleoecológico para os bivalves do Cretáceo Superior da Bacia Bauru.

Biografia do Autor

Maria da Saudade Araujo Santos Maranhão Rosa, Instituto Geológico do Estado de São Paulo - IG-SMA-SP

Downloads

Publicado

2010-12-17

Como Citar

GHILARDI, R. P.; ROSA, M. da S. A. S. M. Anatomia interna de alguns molucos bivalves fósseis do grupo Bauru (cretáceo superior, Bacia Bauru), Brasil: implicações paleoecológicas. Doi: http://dx.doi.org/10.5212/TerraPlural.v.4i1.113120. Terr@ Plural, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 113–120, 2010. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/1218. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos