Avaliação ambiental de sistemas hidrogeomorfológicos e áreas de preservação permanente em recuperação na Unidade Hidrográfica Rio do Fagundes, Paraíba do Sul, RJ, Brasil

Autores

  • Cintia de Andrade Corrêa Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ
  • Nadja Maria Castilho da Costa Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Palavras-chave:

Avaliação Ambiental de Nascentes, Protocolo de Avaliação Rápida, Área de Preservação Permanente de Nascentes, Unidade Hidrográfica de Planejamento.

Resumo

As nascentes são importantes e complexos sistemas hidrogeomorfológios com interação geoecológica na paisagem. Este estudo avalia o nível de perturbação das Áreas de Preservação Permanente de dez nascentes seguindo um Protocolo de Avaliação Rápida numa bacia com uso agropecuário em processo de recuperação de nascentes, aplicado no verão e no inverno de 2017. A maioria das nascentes está impactada pela falta de cobertura vegetal, entre outros (60%). Independente da estação, apenas 10 a 20% apresentaram níveis de impacto julgados naturais. Concluiu-se que o protocolo permitiu uma avaliação de baixo custo, podendo ser replicado.

Biografia do Autor

Cintia de Andrade Corrêa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Doutoranda e mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ; Geógrafa e Especialista em Análise Ambiental pela Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF/MG.

Nadja Maria Castilho da Costa, Universidade do Estado do Rio de Janeiro UERJ

Professora Associada do Departamento de Geografia Física e do Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Downloads

Publicado

2019-09-21

Como Citar

CORRÊA, C. de A.; COSTA, N. M. C. da. Avaliação ambiental de sistemas hidrogeomorfológicos e áreas de preservação permanente em recuperação na Unidade Hidrográfica Rio do Fagundes, Paraíba do Sul, RJ, Brasil. Terr@ Plural, [S. l.], v. 13, n. 2, p. 375–384, 2019. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/12520. Acesso em: 1 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos