Análise da Energia do Relevo e do Uso e Cobertura da Terra na Bacia Hidrográfica do córrego Acôgo, MS

  • Lidiane Perbelin Rodrigues Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Emerson Figueiredo Leite Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Geomorfometria, Bacia do Alto Paraguai, Cerrado Brasileiro, Borda do Pantanal

Resumo

A bacia hidrográfica do córrego Acôgo está localizada na Depressão do
Miranda, na área de transição entre a Planície Pantaneira e o Planalto de Maracajú-
Campo Grande. Apresenta dinâmica social, cultural e ambiental típica da região,
marcada pela existência de grandes propriedades rurais com atividade pecuária
extensiva. Ocorre a remoção da vegetação natural de Cerrado para implantação
de pastagens exóticas, processo facilitado pelo relevo aplainado. Este artigo
analisa a dinâmica de Uso e Cobertura da Terra correlacionando-a com a dinâmica
geomorfométrica (Energia do Relevo) desta bacia hidrográfica. O mapa de Energia do
Relevo expressa uma mensuração matemática do relevo, e origina-se da síntese entre as
Cartas de Amplitude Interfluvial, Amplitude Altimétrica e Declividade. Embora a bacia
apresente potencial geomorfométrico para a estabilidade morfodinâmica, apresentase
desequilibrada quando analisados fatores climáticos, pedológicos, geológicos e
antrópicos, e a estabilidade geomorfométrica mostrou-se nesse caso um facilitador
da ocupação antrópica para aproveitamento de pastagens. Sua implantação levou a
um desmatamento acentuado, sendo que restaram apenas 24,82% de remanescentes
florestais na bacia para 73,76% de pastagens. A análise e o planejamento ambiental
da bacia devem ser pautados na observância dos diversos elementos envolvidos,
buscando equacionar as questões antrópicas e naturais, visando contribuir para o
seu equilíbrio dinâmico. Dessa forma, indica-se a necessidade de adoção de práticas
conservacionistas da vegetação e melhoria das pastagens existente, que possam
atender as necessidades da atividade econômica sem a continuidade da remoção dos
remanescentes florestais.

Biografia do Autor

Lidiane Perbelin Rodrigues, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Acadêmica do Programa de Pós-Graduação Doutorado em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e Pesquisadora do Laboratório de Geografia Física da UFGD (www.lgf.ggf.br). Possui Mestrado em Geografia (2019) e Graduação em Geografia/Licenciatura pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul - Campus de Aquidauana (2012-2016).

Emerson Figueiredo Leite, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor Adjunto IV da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Aquidauana-MS. Lic. e Bach. em Geografia (UFMS/CPAQ - 2003), Especialista em Educação Ambiental pelo SENAC/MS (2006), Mestre em Geografia pela UFMS/CPAQ (2007) e Doutor em Geografia pela Universidade Federal de Uberlândia-MG (2011). Possuo experiência em Geoprocessamento, sensoriamento remoto, cartografia temática e suas aplicações educacionais, na análise da paisagem, em bacias hidrográficas e no planejamento ambiental.

Publicado
2021-03-30
Seção
Artigos/ Articles