A produção científica brasileira sobre travestilidades e transexualidades: da doença à resistência

Autores

  • Adelaine Ellis Carbonar dos Santos Universidade Estadual de Ponta Grossa http://orcid.org/0000-0003-0924-7328
  • Bruna Iara Lorian Chagas Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Marcio Jose Ornat Universidade Estadual de Ponta Grossa

Palavras-chave:

Gênero, Travestis, Transsexuais, periódicos científicos

Resumo

Este artigo procura evidenciar a produção científica acadêmica brasileira a partir das pesquisas publicadas em periódicos no Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES sobre travestilidades e transexualidades. Assim, em um universo de mais de um milhão de pesquisas acadêmicas publicadas até abril de 2019, evidenciamos a existência de apenas 573 trabalhos relacionados ao tema, representando 0,05% do total das produções. Mesmo com o aumento verificado das publicações a partir do ano de 2008, estes números ainda representam a pouca representatividade da área de pesquisa, apontando para uma marginalização destes estudos no cenário da produção científica brasileira. Todavia, neste artigo evidenciamos a emergência de outros temas, como corpo, transfobia, saúde, estudos de gênero, indicando que a perspectiva da doença vem sendo solapada em favor da perspectiva da resistência, ao passo que as reflexões em torno da promoção à cidadania destas pessoas têm ganhado ênfase nas pesquisas.

Downloads

Publicado

2020-07-25

Como Citar

SANTOS, A. E. C. dos; CHAGAS, B. I. L.; ORNAT, M. J. A produção científica brasileira sobre travestilidades e transexualidades: da doença à resistência. Terr@ Plural, [S. l.], v. 14, p. 1–19, 2020. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/14487. Acesso em: 14 ago. 2022.