Implantação do Centro Industrial Norte (CIN) em Feira de Santana, BA: características, mudanças e interações espaciais

Autores

Palavras-chave:

Indústria, Interações espaciais, lei de uso do solo urbano

Resumo

Este artigo analisa as mudanças na atividade industrial em Feira de Santana, em especial relativas à implantação do Centro Industrial Norte (CIN), suas características e consequências socioeconômicas. O Centro Industrial Subaé (CIS), primeiro da cidade, foi instalado na década de 1970 e, no decorrer dos anos, percebem-se interesses em expandir essa dinâmica para outras áreas, como o Setor Norte, que não era objeto de intervenções, até então.  A chegada das indústrias ocorreu de modo paulatino a partir de 2010 no CIN e a escolha da área se deu pela localização, incentivos e alterações na lei de uso do solo urbano. As indústrias mantêm interações espaciais com outras áreas e tal dinâmica atrai novas fábricas, isso dentro do contexto de acumulação flexível.

Biografia do Autor

Janio Santos, Universidade Estadual de Feira de Santana, BA, UEFS, Feira de Santana, BA,, Brasil

Pós-doutorado em Planejamento Urbano, Doutor em Geografia, Professor Pleno/UEFS. E-mail: janiosantos@yahoo.com.br

‪Jaqueline Santos Bastos, Universidade Estadual de Feira de Santana, BA, UEFS, Feira de Santana, BA,, Brasil

Licencianda em Geografia (UEFS), Membro do Grupo de Pesquisa Urbanização e cidades na Bahia, Bolsista de IC.

Referências

Augusto, C. (2011). Debate sobre crescimento industrial de Feira de Santana passa por estudo de ventos elaborado pela professora Rosângela Santos. Jornal Grande Bahia. Manchete. Online. 2 de agosto. Recuperado de https://www.jornalgrandebahia.com.br/2011/08/debate-sobre-crescimento-industrial-de-feira-de-santana-passa-por-estudo-de-ventos-elaborado-pela-professora-rosangela-santos/
________. (2013). Secretário da indústria e Comércio da Bahia sinaliza retomada do projeto CIS Norte. Jornal Grande Bahia. Manchete. Online. 23 de julho. Recuperado de https://www.jornalgrandebahia.com.br/2013/07/ secretario-da-industria-e-comercio-da-bahia-sinaliza-retomada-do-projeto-cis-norte.
Benko, G. (1996). Economia, espaço e globalização: na aurora do século XXI. São Paulo: Hucitec.
Cara, C. A. & França, F.M. (2009). Aspectos do Processo da Industrialização Brasileira. Anais do Encontro de Produção Científica e Tecnologia, Unioeste, Curitiba, Paraná, Brasil, 4. Recuperado de http://www.fecilcam.br/nupem/ anais_iv_epct/PDF/ciencias_exatas/01_CARA_FRANÇA.pdf
Carlos, A. F. A. (2000). Espaço e indústria. São Paulo, Contexto.
Centro Industrial do Subaé cresce e define novas áreas, diz governo. (2012). Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB), Noticias, quarta-feira, 7 de março. Recuperado de http://www.fieb.org.br/ Noticia/685/centro-industrial-do-subae-cresce-e-define-novas-areas-diz-governo-.aspx
Correa, R. L. (1997) Interações Espaciais. In: CASTRO, I. E. de; GOMES, P. C; da. C; CORRÊA, R. L. (Org.). Explorações Geográficas (p. 279-319) Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,
Ferreira. M. C. P. J. (2003). Distrito Industriais: opção de desenvolvimento. São Luís/MA, EDUNICAMP.
Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB). (2020). Guia Industrial do Estado da Bahia. Salvador, FIEB, Recuperado de http://www.fieb.org.br/guia/ contato/guia.
Freitas, N. B. (1998). Urbanização em Feira de Santana: Influência da industrialização 1970-1996. (Dissertação de Mestrado), Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.
Harvey, D. (2004) A condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Loyola.
Hobsmawn, E (1998). A era das revoluções 1789-1848 (11ª ed.) São Paulo: Paz e Terra.
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1969). Feira de Santana, Bahia (2ª ed.) Rio de Janeiro, IBGE.
________. (2020). Estimativas da população 2020. Sidra: Banco de dados. Recuperado de http://www.sidra.ibge.gov.br
Kupfer, D. & Hasenclever, L. (2002). Economia industrial: fundamentos teóricos e práticas no Brasil. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus.
Lessa, C. (2007). Política industrial e industrialização. Rio de Janeiro: Instituto de Economia da UFRJ. Recuperado de http://www.ie.ufrj.br/aparte/pdfs/ lessa090507.pdf
Lei Complementar nº 75 de 20 de junho 2013, fixa os limites interdistritais, amplia o perímetro urbano e delimita 06 (seis) novos bairros do distrito sede do município de Feira de Santana e dá outras providências. Recuperado de https://leismunicipais.com.br/a/ba/f/feira-de-santana/lei-complementar/2013/8/75/lei-
Lei complementar N° 86, agosto de 2014. Dispõe sobre ordenamento do uso e ocupação do solo. Recuperado de https://leismunicipais.com.br/a/ba/f/feira-de-santana/lei-complementar/2014/8/86/lei-complementar-n-86-2014-altera-modifica-amplia-e-da-nova-redacao-a-lei-n-1615-92-que-institui-a-lei-do-ordenamento-do-uso-e-da-ocupacao-do-solo-na-area-urbana-do-municipio-de-feira-de-santana-e-revoga-a-lei-complementar-n-46-de-19-de-agosto-de-2010-que-dispoe-sobre-o-sistema-viario-das-areas-de-expansao-urbana-da-cidade-de-feira-de-santana. Acesso em: 20 mai. 2020.
Mendes, J. A. (2006). Industrialização e patrimônio industrial: Desenvolvimento e cultura. Curso de Verão da Ericeira, Faculdade de Letras de Coimbra, Coimbra, Portugal, 8.
Oliveira, L. E. G. de. (1976). Algumas considerações sobre a implantação de distritos industriais. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, v. 38, n. 34, p. 22-69.
Oliveira, E. M. (2006) A experiência mineira na implantação de distritos industriais de pequeno porte: o caso de Elói Mendes. (Trabalho de Conclusão de Curso), Edifício da GeoHistória, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, Minas Gerais, Brasil.
Santos, J. (2013). A cidade poli(multi)nucleada: a reestruturação do espaço urbano em salvador. Salvador: EDUFBA.
________. (2019). (Re)pensar a rede de cidades na Bahia: urbanização e interações dos/nos espaços interurbanos. (Tese de Promoção na Careira para Professor Pleno), Departamento de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, Bahia, Brasil.
Santos, M. (1997). Técnica, espaço, tempo: globalização e meio técnico-científico informacional. São Paulo, HUCITEC.
________. (2009) A natureza do espaço: técnica e o tempo: razão e emoção. (4ª ed.). São Paulo: Edusp.
Santos, T. M. S. dos. (1999). Territorialidade da Indústria de Alimentos Parmalat em Feira de Santana- Bahia. (Dissertação de Mestrado), nstituto de Geociências, Universidade Federal da Bahia, Salvador, Bahia, Brasil.
Soja, E. (1993) Geografias pós-modernas: a reafirmação do espaço na teoria social crítica. Rio de Janeiro: Zahar.
Sposito, M. E. B. (1999). Capitalismo e urbanização (14 ed.). São Paulo: Contexto
Suzigan, W. (2000). Indústria Brasileira: origem e desenvolvimento (93 ed.). São Paulo: Hucitec.
Teruo Takami, S. & Mendse, A. (2011). Distritos industriais e políticas públicas em Piracicaba-SP: análise crítica das condições gerais de reprodução do capital. Revista Geográfica de América Central, v. 2 n. 47E, I Semestre, p. 1-18. Recuperado de https://www.revistas.una.ac.cr/index.php/ geografica/article/view/2508.
Versiani, F & Suzigan, W. (1990 agosto). O processo brasileiro de industrialização: uma visão geral. Anais do Congresso Internacional de História Econômica, Louvain, França, 10. Recuperado de https://www.angelfire.com/id/ SergioDaSilva/ industrializacao.pdf.

Downloads

Publicado

2022-02-16

Como Citar

SANTOS, J.; BASTOS, ‪Jaqueline S. . Implantação do Centro Industrial Norte (CIN) em Feira de Santana, BA: características, mudanças e interações espaciais . Terr@ Plural, [S. l.], v. 16, p. 1–18, 2022. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/17594. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos