A SUBJUGAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO QUILOMBOLA AO CAPITAL NA AMAZÔNIA: ANÁLISE SOBRE O QUILOMBO BOA VISTA NO MUNICÍPIO DE ORIXIMINÁ (PARÁ)

Autores

  • Silvia da Silva Correa Geógrafa, Mestranda do PPGG/UNIR
  • Alyson Fernando Alves Ribeiro Geógrafo, Mestrando do PPGG/UNIR
  • Ricardo Gilson da Costa SILVA Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Resumo

O avanço das grandes empresas na Amazônia introduziu novas configurações territoriais, submetendo a natureza e as populações tradicionais à lógica de reprodução do capital. O espaço geográfico passa a ser transformado para atender as demandas capitalistas que não somente modificam a natureza em mercadoria, mas subordinam as populações locais às racionalidades do capital. O texto analisa o processo de transformação da comunidade quilombola Boa Vista em força de trabalho assalariada da empresa de mineração Rio do Norte (MRN). Discute as modificações ocasionadas na forma de produção e organização do território quilombola, principalmente quando estes substituem suas práticas coletivas e extrativistas para assumir o trabalhador assalariado sob as condições regidas pelo capital.

Biografia do Autor

Ricardo Gilson da Costa SILVA, Universidade Federal de Rondônia - UNIR

Ricardo Gilson da Costa Silva, Professor do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Coordenador do Laboratório de Gestão do Território - LAGET, Doutor em Geografia Humana (USP).

 

Downloads

Publicado

2015-10-10

Como Citar

CORREA, S. da S.; RIBEIRO, A. F. A.; SILVA, R. G. da C. A SUBJUGAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO QUILOMBOLA AO CAPITAL NA AMAZÔNIA: ANÁLISE SOBRE O QUILOMBO BOA VISTA NO MUNICÍPIO DE ORIXIMINÁ (PARÁ). Terr@ Plural, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 39–55, 2015. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/8119. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos