Tecnologias digitais de informação e comunicação ( TDIC ) nas graduações de Serviço Social no Estado do Paraná (Digital information and communication technologies ( ICT ) in Social Service graduations in the State of Paraná)

Conteúdo do artigo principal

Antonio Sandro Schuartz

Resumo

Este artigo traz os resultados do estudo exploratório e descritivo que teve entre seus objetivos: a) identificar o número de graduações em Serviço Social ofertadas no estado do Paraná; b) reconhecer se, nas matrizes curriculares dos cursos, há disciplinas voltadas ao ensino sobre TDIC; c) refletir sobre as possiblidades e os limites das TDIC no âmbito do Serviço Social. A primeira aproximação com a questão se deu a partir do material disponível online. O estudo constatou que decorreram mais de 20 anos desde a promulgação das Diretrizes Curriculares para os cursos de Serviço Social, quando já havia sido estabelecido que, dentre as competências a serem alcançadas pelos futuros assistentes sociais em formação, estava a de dominarem os recursos de informática. Atualmente, porém, menos de 20% das graduações ofertadas no estado do Paraná possuem a temática em suas matrizes curriculares.


 

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
SCHUARTZ, A. S. Tecnologias digitais de informação e comunicação ( TDIC ) nas graduações de Serviço Social no Estado do Paraná (Digital information and communication technologies ( ICT ) in Social Service graduations in the State of Paraná). Emancipação, Ponta Grossa - PR, Brasil., v. 19, n. 2, p. 1–12, 2020. DOI: 10.5212/Emancipacao.v.19i2.0013. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/emancipacao/article/view/14269. Acesso em: 21 jul. 2024.
Seção
Artigos
Biografia do Autor

Antonio Sandro Schuartz, Universidade Federal do Paraná

Doutor em Serviço Social pela UFSC (2019); Mestre em Organizações e Desenvolvimento (FAE) 2011, graduado em Serviço social pela FCHSC (1996), professor Adjunto da UFPR – Setor Litoral. E-mail: antoniosersocial@gmail.com

Referências

BARROCO, Maria Lúcia S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 106, p. 205-218, 2011.

BELLUOMINI, Ellen. Technology Changing the Face of Social Work. The New Social Worker: the social worker carrer’s magazine, v. 20, n. 2, dez. 2013. Disponível em: http://www.socialworker.com/the_new_social_worker_print_edition. Acesso em: 31 jul. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituições de Educação Superior e Cursos Cadastrados. e-Mec. 2016. Disponível em: http://emec.mec.gov.br/. Acesso em: 8 abr. 2016.

BRAZ, Marcelo. A hegemonia em xeque: projeto ético-político do Serviço Social e seus elementos constitutivos. Revista Inscrita, Brasília, n. 10, p. 5-10, 2007. Disponível em: https://issuu.com/cfess/docs/revistainscrita-cfess__10_. Acesso em: 13 jan. 2020.

COLMÁN, Evaristo; TOSCAN, Franciele. Tecnologias de informação, processos de trabalho do assistente social e formação profissional. Serviço Social em Revista, v. 5, n. 2, 2003. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/ssrevista/c-v5n2.htm. Acesso em: 31 jul. 2014.

DAGNINO, Renato. O pensamento latino-americano em Ciência, Tecnologia e Sociedade (PLACTS) e a obra de Andrew Feenberg. In: NEDER, Ricardo T. (Org.). A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática poder e tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS/UnB/Capes, 2010. p. 25-48.

FEENBERG, Andrew. O que é filosofia da tecnologia? In: NEDER, Ricardo T. (Org.). A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. 2. ed. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS/UnB/Capes, 2013. p. 51-64.

GONSALVES, Elisa Pereira. Conversas sobre iniciação à pesquisa científica. Campinas, SP: Alínea, 2001.

IAMAMOTO, Marilda Villela. O projeto profissional. In: IAMAMOTO, Marilda Villela. Serviço Social em Tempo de Capital Fetiche. São Paulo: Cortez, 2012. p. 222-233.

LOJKINE, Jean. A revolução informacional; trad. De José Paulo Netto. – 3.ed. São Paulo: Cortez, 2002.

NEDER, Ricardo T. (Org.). A teoria crítica de Andrew Feenberg: racionalização democrática, poder e tecnologia. Brasília: Observatório do Movimento pela Tecnologia Social na América Latina/CDS/UnB/Capes, 2010.

NETTO, José Paulo. Das ameaças à crise. Revista Inscrita, Brasília, ano VII, n. 10, p. 37-40, nov. 2007.

NETTO, José Paulo. A construção do Projeto Ético-Político do Serviço Social. In: MOTA, Ana Elizabete et al. Serviço social e Saúde: trabalho e trabalho profissional. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2009. p. 141-160.

PINTO, Álvaro Vieira. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2005. v. 2. p. 1- 531.

RAMOS, Sâmya Rodrigues. Limites e possibilidades históricos do projeto ético-político. Revista Inscrita, Brasília, ano IX, n. 12, p. 41-48, 2009.

VELOSO, Renato. Serviço Social, Tecnologia da Informação e trabalho. São Paulo: Cortez, 2011.

YOUNG, Jong Kim. New Information Technology and Social Work Education in South Korea. The International Journal of Continuing Social Work Education, v. 2, n. 1, p. 35-37, 1999. Disponível em: http://www.profdevjournal.org/ articles/21035.pdf. Acesso em: 31 jul. 2014.