As cidades médias brasileiras precisam ser mais amigáveis aos morcegos, principalmente nos hotspots de biodiversidadeBRASILEIRAS PRECISAM SER MAIS AMIGÁVEIS AOS MORCEGOS, PRINCIPALMENTE NOS HOTSPOTS DE BIODIVERSIDADE

Autores

  • Isabela Carolina Ortêncio Negri Acadêmica do Mestrado em Geografia da UFMT, Campus de Rondonópolis
  • Sérgio Sebastião Negri Professor titular do Departamento de Geografia da UFMT, Campus de Rondonópolis
  • Fabio Angeoletto Doutor em Ecologia pela Universidade Autônoma de Madrid e Professor do Mestrado em Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso, campus de Rondonópolis

Palavras-chave:

quirópteros, urbanização, biodiversidade urbana, ecologia urbana.

Resumo

Atualmente mais da metade da população mundial vive em cidades e este número deve chegar a 72% até 2050. No Brasil, o processo de urbanização do território, geralmente rápido e sem planejamento, origina uma miríade de impactos ambientais. A urbanização faz declinar a riqueza e diversidade de espécies. Por outro lado, algumas espécies se adaptam aos ambientes antropogênicos pois obtêm vantagens da matriz urbana, utilizando-se de abrigo ou alimento disponíveis. Os morcegos possuem uma plasticidade ecológica que os permite estabelecerem-se em remanescentes florestais nas cidades ou diretamente no meio construído. Nesse ensaio, nós defendemos a importância das cidades médias como espaços de conservação da biodiversidade.

 

Downloads

Publicado

2019-09-25

Como Citar

NEGRI, I. C. O.; NEGRI, S. S.; ANGEOLETTO, F. As cidades médias brasileiras precisam ser mais amigáveis aos morcegos, principalmente nos hotspots de biodiversidadeBRASILEIRAS PRECISAM SER MAIS AMIGÁVEIS AOS MORCEGOS, PRINCIPALMENTE NOS HOTSPOTS DE BIODIVERSIDADE. Terr@ Plural, [S. l.], v. 13, n. 3, p. 446–460, 2019. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/13469. Acesso em: 5 out. 2022.