A SAGA DO “PIONEIRO” NO SERTÃO DOS “BICHOS DO MATO”: A PRODUÇÃO DO ESPAÇO NO SUDOESTE DO PARANÁ E O SILÊNCIO DA HISTÓRIA.

Autores

  • Roberto Luiz Pocai Filho UEPG

Resumo

Este artigo tem por intenção descrever algumas das trajetórias da colonização do Sudoeste do Paraná, categorizado nos documentos históricos como “sertão”. Apesar de habitado por caboclos, o Sudoeste foi considerado como uma região de “vazio demográfico” pelo Estado que favoreceu uma onda de migração vinda do sul à região. Ao momento que esses vão desenvolvendo práticas capitalistas na região, ocorre também uma negação do modo de sobrevivência do caboclo. Discutindo a territorialidade e a afirmação do migrante na região, o artigo evidencia a relação desse com o “outro”, assim como a resistência das práticas sociais e culturais do caboclo na região.

Downloads

Publicado

2014-12-11

Como Citar

POCAI FILHO, R. L. A SAGA DO “PIONEIRO” NO SERTÃO DOS “BICHOS DO MATO”: A PRODUÇÃO DO ESPAÇO NO SUDOESTE DO PARANÁ E O SILÊNCIO DA HISTÓRIA. Terr@ Plural, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 125–144, 2014. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/5073. Acesso em: 17 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos