IDENTIDADE CULTURAL E RECONHECIMENTO: TENSÕES ENTRE A POLÍTICA AMBIENTAL E AS POPULAÇÕES TRADICIONAIS

Autores

  • Mara Monteiro

Resumo

O presente trabalho aborda as contradições entre os dispositivos legais que respaldam as políticas ambientais concernentes à criação de Unidades de Conservação de Proteção Integral, cuja ênfase está nas manifestações de diferentes conflitos de resistência, em face da sobreposição dos direitos ambientais e culturais. O que é contextualizado a partir da criação de Unidades de Conservação na Amazônia, especificamente a criação do Parque Estadual Rio Negro (Amazonas), caracterizado como área de proteção integral, localizado em território ocupado por comunidades tradicionais, dentre as quais aquelas formadas por agrupamentos indígenas, que presenciam o declínio de seus direitos garantidos constitucionalmente, revelando as contradições entre as realidades plurais e as políticas ambientais.

Downloads

Publicado

2015-06-25

Como Citar

MONTEIRO, M. IDENTIDADE CULTURAL E RECONHECIMENTO: TENSÕES ENTRE A POLÍTICA AMBIENTAL E AS POPULAÇÕES TRADICIONAIS. Terr@ Plural, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 341–354, 2015. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/6517. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos