INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS (IG) NO CONTEXTO DA MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO

Autores

  • RAIMUNDA AUREA DIAS DE SOUSA Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina

Resumo

O selo IG (Indicações Geográficas) surge quando se percebeu que alguns cultivos oriundos de determinados territórios apresentavam características específicas, atribuíveis à sua origem geográfica, como a uva e a manga do Vale do São Francisco, por isso precisavam ser protegidos de forma legal. Assim, o referido selo tem por finalidade mostrar que o produto apresenta uma origem geográfica específica e que possui qualidades e reputação vinculadas ao local geográfico. Nessa perspectiva, o presente trabalho objetiva analisar as contradições do selo IG no Vale do São Francisco e como o mesmo vem sendo utilizado em seu contrário, ou seja, apenas para negócio, sem levar em conta aquilo que considera importante – as tradições culturais.

Biografia do Autor

RAIMUNDA AUREA DIAS DE SOUSA, Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina

Professora Adjunta da UPE/Campus Petrolina, pesquisadora dos grupos de pesquisa - GPECT – Grupo de Pesquisa Estado, Capital, Trabalho e as Políticas de Reordenamentos Territoriais - UFS e Grupo de Pesquisa em sociedade e Natureza no Vale do São Francisco - UPE/Petrolina. Professora do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares - PPGFPPI.

 

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

DIAS DE SOUSA, R. A. INDICAÇÕES GEOGRÁFICAS (IG) NO CONTEXTO DA MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA NO VALE DO SÃO FRANCISCO. Terr@ Plural, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 244–253, 2017. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/tp/article/view/9222. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos