As representações sociais da dança em aulas de Educação Física nos anos iniciais do ensino fundamental

Autores

  • Silvia Christina Madrid Finck Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG
  • Fabíola Shiebelbein Capri Instituição de Ensino Superior Sant’Ana (IESSA)

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.6i2.0007

Resumo

O artigo apresenta uma pesquisa sobre representações sociais da dança no contexto da Educação Física Escolar (EFE). A pesquisa foi realizada em duas escolas da rede pública municipal e duas da rede particular de ensino de Ponta Grossa – PR. A observação e o questionário foram os instrumentos utilizados na coleta dos dados. Participaram da pesquisa cinco professores de Educação Física e 331 alunos do Ensino Fundamental (5º ano do Ensino Fundamental). Os resultados indicam que as representações sociais dos professores de dança estão relacionadas às festas e datas comemorativas da escola e dos alunos, ao prazer e à preferência musical. A dança na escola tem espaço para elaborações coreográficas, ensaios de festa junina e apresentações escolares.

 

Palavras-chave: Dança. Educação Física. Escola.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Silvia Christina Madrid Finck, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Doutora em Ciência da Atividade Física e do Esporte (UNILEON/ES). Professora Adjunta da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG/PR), do Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino, atua no Curso de Licenciatura em Educação Física e no Programa de Mestrado em Educação da UEPG. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física Escolar e Formação de Professores (GEPEFE/UEPG/CNPq). 

Fabíola Shiebelbein Capri, Instituição de Ensino Superior Sant’Ana (IESSA)

Mestre em Educação (UEPG) e professora da Instituição de Ensino Superior Sant’Ana (IESSA) em Ponta Grossa/PR.

Downloads

Publicado

2011-12-07

Como Citar

MADRID FINCK, S. C.; CAPRI, F. S. As representações sociais da dança em aulas de Educação Física nos anos iniciais do ensino fundamental. Práxis Educativa, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 249–263, 2011. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.6i2.0007. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/2901. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos