Possibilidades e limites da formação do professor de Arte e da educação artística escolar na perspectiva de humanização

Autores

  • Maria José Dozza Subtil Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.11i3.0022

Resumo

Este artigo apresenta reflexões sobre formação inicial de professores de Arte, conhecimentos priorizados no currículo e demandas da prática artística escolar, resultantes de uma pesquisa realizada com professores da Rede Pública Estadual, egressos em especial das Licenciaturas de Música. São abordadas questões sobre a formação na Licenciatura – prática musical, estudos pedagógicos, estágio e relação com a escola, pontos fortes e fracos do currículo e a prática artística escolar – planejamento, conteúdos e metodologias, demandas dos alunos e dos gestores para as aulas de Arte. O objetivo dessa análise foi cotejar a formação dos professores com as demandas da escola, para discutir os desafios do trabalho docente em Arte/Música com relação aos diferentes determinantes que o constituem. Entre outros problemas, os dados mostram as dificuldades dos docentes em planejar a partir das determinações das Diretrizes Curriculares Estaduais - DCE (2009), que propõem atuação com todas as áreas artísticas (Música, Teatro, Dança e Artes Visuais) e a prática efetiva tendo em vista a formação específica nas Licenciaturas de Música e de Artes Visuais. As respostas permitiram problematizar a relação teoria e prática da formação/trabalho desses professores e apontaram para a contradição entre a educação artística como atividade pragmática e a potencialidade da formação estética e humanizadora apregoada pela perspectiva marxista.

 

Palavras-chave: Licenciaturas em Arte. Formação de professores. Currículo. Prática artística escolar.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Maria José Dozza Subtil, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Pesquisadora Sênior do Programa de Pós-Graduação em Educação (Mestrado e Doutorado) da Universidade Estadual de  Ponta Grossa (UEPG).

Downloads

Publicado

2017-03-21

Como Citar

SUBTIL, M. J. D. Possibilidades e limites da formação do professor de Arte e da educação artística escolar na perspectiva de humanização. Práxis Educativa, [S. l.], v. 11, n. 3, p. 897–916, 2017. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.11i3.0022. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/8836. Acesso em: 13 ago. 2022.