Sobre masculinidades na Educação Física escolar: questões teóricas, horizontes políticos

Autores

  • Leandro Teófilo Brito Professor de Educação Física do Colégio Pedro II e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro/UERJ. http://orcid.org/0000-0002-9123-5280
  • Miriam Soares Leite Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ. http://orcid.org/0000-0003-3833-2150

DOI:

https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.12i2.0011

Resumo

A partir do reconhecimento da urgência da tematização das questões de gênero e sexualidade, na abordagem da inclusão da diferença na Educação Física escolar pela pesquisa acadêmica, focalizamos, neste artigo a noção de masculinidade. Apresentamos e problematizamos a teoria da masculinidade hegemônica, de Raewyn Connell, assim como a perspectiva queer, referências teóricas identificadas em levantamento bibliográfico que também é exposto. Com base na proposta da desconstrução, de Jacques Derrida, e da noção de gênero performativo, conforme desenvolvida por Judith Butler, finalizamos a reflexão com a proposição dos operadores de pesquisa masculinidade normalizadora e masculinidade queer, no desejo teórico-político de favorecer a abertura a uma inclusão mais radical nas pesquisas e aulas da EFE.

 

Palavras-chave: Educação Física escolar. Masculinidades. Perspectiva queer.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Leandro Teófilo Brito, Professor de Educação Física do Colégio Pedro II e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro/UERJ.

Licenciado em Educação Física e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutorando do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, e membro do Grupo de Estudos sobre Diferença e Desigualdade na Educação Escolar da Juventude/DDEEJ. Professor do Colégio Pedro II, campus Engenho Novo II.

Miriam Soares Leite, Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ.

Graduada em História pela Universidade Federal Fluminense (1992), mestre em Educação, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004), e doutora em Educação, também pela PUC-Rio (2008), é professora adjunta do Departamento de Estudos Aplicados ao Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UERJ, onde se vincula à linha de pesquisa Infância, Juventude e Educação e é líder do Grupo de Estudos sobre Diferença e Desigualdade na Educação Escolar da Juventude/DDEEJ.

Downloads

Publicado

2017-07-06

Como Citar

BRITO, L. T.; LEITE, M. S. Sobre masculinidades na Educação Física escolar: questões teóricas, horizontes políticos. Práxis Educativa, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 481–500, 2017. DOI: 10.5212/PraxEduc.v.12i2.0011. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/8812. Acesso em: 13 ago. 2022.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Física escolar no contexto da inclusão e diferença