CORPO HUMANO UM ARTEFATO CULTURAL NO CURRÍCULO DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO TERRITÓRIO FEDERAL DO ACRE: GÊNERO, CIVILIDADE – CIVISMO – MORAL

Conteúdo do artigo principal

Murilena Pinheiro de Almeida
Marco Antonio Leandro Barzano
Cleyde Oliveira de Castro
Cenair Felini Soares

Resumo

Este trabalho visa analisar o funcionamento dos mecanismos de legitimação do tema corpo humano, no
currículo do ensino de ciências da escola primária, no Território Federal do Acre, de 1910 até 1939. Mobilizouse
os aportes da História Cultural, a pesquisa documental, a análise de conteúdo, a técnica snowball e entrevistas
em profundidade com professoras. As fontes documentais utilizadas: programas de ensino, regulamentos de
funcionamento do ensino primário, fotografias, gravuras, notícias e artigos sobre educação em jornais da época. A
construção e abordagem das séries documentais e a análise foram mediadas pelo conceito de representação social. As
representações sobre o corpo, erigidas sob um viés antropocêntrico e uma linguagem androcêntrica, encontravamse
subjacentes aos modos diversificados da escolarização do Território Federal do Acre, e, consubstanciou o tema
corpo humano como artefato cultural, no eixo civilidade – civismo – moral, para produzir o brasileiro e a brasileira
acreanos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
ALMEIDA, M. P. de; BARZANO, M. A. L.; CASTRO, C. O. de; SOARES, C. F. CORPO HUMANO UM ARTEFATO CULTURAL NO CURRÍCULO DO ENSINO DE CIÊNCIAS NO TERRITÓRIO FEDERAL DO ACRE: GÊNERO, CIVILIDADE – CIVISMO – MORAL. Olhar de Professor, [S. l.], v. 21, n. 2, p. 199–208, 2019. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.21i2.0002. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/14183. Acesso em: 1 out. 2022.
Seção
Ensino das Ciências e da Matemática