Memória e testemunho da violência contra o pensamento de Paulo Freire a partir de “A visita do inspetor-geral”, de Bernardo Kucinski

Conteúdo do artigo principal

Nelson Martinelli Filho
Thaís Bedendo

Resumo

Este trabalho analisa o atual contexto de perseguição à obra e ao pensamento de Paulo Freire por meio da leitura crítica de “A visita do inspetor-geral”, conto de Você vai voltar pra mim e outros contos, de Bernardo Kucinski (2014), com foco na repetição das estratégias de censura e de violência contra determinados vieses políticos e ideológicos na história recente do Brasil. Para a fundamentar a discussão, no plano teórico, realizou-se um levantamento bibliográfico dos autores Paul Ricoeur (2007) e Jeanne Marie Gagnebin (2006) sobre memória, de Márcio Seligmann-Silva (2003/2005) e Jaime Ginzburg (2011) sobre literatura de testemunho, e de Bruno Botelho Costa (2016), Carlos Rodrigues Brandão (2006) e Moacir Gadotti (1996), entre outros, que abordam a obra de Paulo Freire. Observou-se, dessa forma, que a narrativa de Kucinski atua como um testemunho do autoritarismo da ditadura, de modo que seu livro se torna documento de memória na contramão das vias institucionalizas que operam o silenciamento e a manipulação do passado.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
MARTINELLI FILHO, N.; BEDENDO, T. Memória e testemunho da violência contra o pensamento de Paulo Freire a partir de “A visita do inspetor-geral”, de Bernardo Kucinski. Olhar de Professor, [S. l.], v. 24, p. 1–22, 2021. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.24.16757.014. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/16757. Acesso em: 14 jun. 2024.
Seção
Caderno temático: A atualidade do Pensamento de Paulo Freire