A criança fala: o desenho como fonte de escuta e produção artística sobre as brincadeiras preferidas no cotidiano da educação infantil

Main Article Content

Aline Patricia Campos Tolentino de Lima
https://orcid.org/0000-0002-6834-7209
Evani Andreatta Amaral Camargo
https://orcid.org/0000-0002-8952-4796

Resumo

Este artigo apresenta uma discussão sobre a importância da escuta atenta das crianças em pesquisas e o desenho como fonte de produção artística sobre as brincadeiras preferidas no cotidiano da Educação Infantil. O objetivo deste estudo é apresentar produções de desenhos realizados pelas crianças para representar suas brincadeiras preferidas e discutir a importância do brincar para o desenvolvimento infantil, por meio da fundamentação teórica da psicologia histórico-cultural. A metodologia utilizada foi a pesquisa qualitativa ancorada na abordagem histórico-cultural. Foram realizadas rodas de conversa e registros de desenhos produzidos pelas crianças sobre suas brincadeiras preferidas. Como resultado, foi possível ampliar os conceitos sobre a participação da criança na educação infantil, analisados a partir da opinião da criança e não apenas do adulto, propiciando ainda às pesquisadoras uma reflexão sobre os espaços e tempos destinados ao brincar no cotidiano da Educação Infantil.

Metrics

Carregando Métricas ...

Article Details

Como Citar
LIMA, A. P. C. T. DE; CAMARGO, E. A. A. A criança fala: o desenho como fonte de escuta e produção artística sobre as brincadeiras preferidas no cotidiano da educação infantil. Olhar de Professor, v. 24, p. 1-22, 4 set. 2021.
Seção
Práticas artísticas contemporâneas, crianças e docência: experiências estéticas
Biografia do Autor

Aline Patricia Campos Tolentino de Lima, Universidade de São Paulo - USP

Doutoranda em educação (USP) e Mestra em Educação (CUML). Chefe da Seção de Pré-escolas (Secretaria Municipal de Educação de Ribeirão Preto).

Evani Andreatta Amaral Camargo, Centro Universitário Moura Lacerda

Possui graduação em Fonoaudiologia pela Universidade Federal de São Paulo (1977), mestrado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Pós-doutorado em Linguística pelo Instituto de Estudos da Linguagem (UNICAMP). Experiência nas áreas de Educação e Fonoaudiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento da linguagem oral, apropriação da língua escrita, deficiência intelectual e aspectos escolares de crianças com dificuldades e atrasos no desenvolvimento, inseridas na escola regular. Além disso, apresenta pesquisa em Educação e em Linguística, na área de Educação Especial e desenvolvimento da linguagem, nas perspectivas bakhtiniana e histórico-cultural. Atuou como Professora no Curso de Mestrado em Educação, no Centro Universitário Moura Lacerda, na linha Constituição do Sujeito Escolar até junho de 2019. 

Referências

DEMARTINI, Z. B. F. Infância, pesquisa e relatos orais. In: FARIA, A. L. G.; DEMARTINI, Z. B. F.; PRADO, P. D. (orgs.) Por uma cultura da infância: metodologias de pesquisas com crianças. Campinas: Autores Associados, 6.Ed., 2007. p. 19-50.
EDWARDS, Carolyn; GANDINI, Lella; FORMAN, George. As cem linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia na Educação da primeira infância. Porto Alegre: Penso, 2016.
ELKONIN, D. B. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
FONTANA, Roseli.; CRUZ, Nazaré. Psicologia e trabalho pedagógico. São Paulo: Atual, 1997.
FRANCO, R. R. A fundamentação jurídica do direito de brincar. 2008. 253f. Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2008.
GOBBI, M. Lápis vermelho é de mulherzinha: Desenho infantil, relações de gênero e crianças pequenas. Pró-posições. Vol. 10, no. 1, março de 1999. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/pf-fe/publicacao/1999/28-artigos-gobbim.pdf. Acesso em 2 de junho de 2019.
IAVELBERG, R. O desenho cultivado da criança. Porto Alegre: Editoura Zouk, 2013.
LACERDA, C. B. F. Oralidade, desenho e escrita: o processo de construção do conhecimento. São Paulo: Cabral editora. 1995.
LEONTIEV, A. N. Os princípios psicológicos da brincadeira pré-escolar. IN: VIGOTSKII, L.S.; LURIA, A. R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 6 ed. São Paulo: Ícone editora, 2010. p. 119-142.
LONGO, C. S. NARITA, S. Psicologia do desenho infantil: uma proposta na perspectiva histórico-cultural. Rev. Psicologia.pt. p. 1-11, 2018. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/ver_artigo.php?psicologia-do-desenho-infantil-uma-proposta-na-perspectiva-historico-cultural&codigo=A1272&area=d10 . Acesso em 13 de mar. de 2021.

MELLO, M. A. Diferenças conceituais e pedagógicas entre brincadeira e jogo na teoria histórico-cultural: implicações no ensino e na aprendizagem na educação infantil. Tese (Acadêmica Inédita). UFSCAR: São Carlos, 2018.
MINAYO, Maria Cecília de Souza. Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Cienc. Saúde Coletiva, v.17, n.3, p.621-625, 2012.
MOURA, E. A.; MATA, M. S.; PAULINO, P. R.V.; FREITAS, A. P.; JUNIOR, C. A. M.; MÁRMORA, C. H. C. Os planos genéticos do desenvolvimento humano: A contribuição de Vigotski. Revista de ciências humana de Unitau. Vol. 10, n. 1, p.106-114, 2016. Disponível em: http://www.rchunitau.com.br/index.php/rch/article/view/298. Acesso em 01 de jun. de 2018.

NATIVIDADE, M. R. COUTINHO, M. C. ZANELLA, A. V. Desenho na pesquisa com crianças: análise na perspectiva histórico-cultural. Rev. Contextos Clínicos. p. 9-18, 2008. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1983-34822008000100002&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 13 de mar. de 2021.

PILLOTTO, S. S. D.; SILVA, M. K.; MOGNOL, L. T. Grafismo infantil: linguagem do desenho. UDESC, 2007. Disponível em: http://revistas.udesc.br/index.php/linhas/article/viewFile/1219/1033. Acesso em 02 de junho de 2019.
ROCHA, Maria Silvia Pinto de Moura Librandi. Não brinco mais: a (des)construção do brincar no cotidiano educacional. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.
SILVA, M. C. S. Condições sociais da constituição do desenho infantil. Psicol. USP. 1998, v.9, n.2, p. 205-220. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-65641998000200008. Acesso em 06 de abril de 2019.
SILVA, P. R.; SOUZA, F. C.; OLIVEIRA, R. C. D. Os direitos das crianças pequenas: do silêncio ao grito. In: SANTOS, M. W.; TOMAZZETTI, C. M.; MELLO, S. A. (orgs.) Eu ainda sou criança: educação infantil e resistência. São Carlos: EdUFSCar, 2018. p. 81-90.
VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007.
VIGOTSKI, L. S. Imaginação e criação na infância. São Paulo: Ática, 2009.
VIGOTSKI, L. S. Psicologia pedagógica. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2010.