Um olhar sobre as contribuições dos povos indígenas e africanos para a cultura alimentícia brasileira: uma proposta para o ensino de Ciências

Conteúdo do artigo principal

Bruna Marques Duarte
https://orcid.org/0000-0003-0146-7502
Rhuan Guilherme Tardo Ribeiro
Dr. Luciano Carvalhais Gomes
https://orcid.org/0000-0002-2005-9224

Resumo

Este artigo intenciona apresentar os resultados de uma pesquisa-ação, que teve como objetivo analisar como os conteúdos sobre nutrição podem ser aliados à perspectiva étnico-racial, baseada na lei 11.645 (BRASIL, 2008), que estabelece a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”, no currículo escolar. Destarte, discutir a importância da diversidade cultural alimentícia nas aulas de Ciências dos anos finais do Ensino Fundamental. Para isso, realizaram-se intervenções em uma turma do 8º ano de uma Escola do Campo, localizada no município de Nova Esperança, Paraná. Desde as atividades, que objetivavam a formação multicultural discente, levando-os a ponderar sobre a necessidade do respeito e conhecimento da cultura dos povos africanos e indígenas, podemos observar que as interações com a nossa cultura são relevantes para formação social dos sujeitos, pois integram a comunidade escolar com os diversos contextos. Assim, atividades com este enfoque são importantes na aproximação entre cultura e ciência.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
DUARTE, B. M.; RIBEIRO, R. G. T. .; GOMES, L. C. . Um olhar sobre as contribuições dos povos indígenas e africanos para a cultura alimentícia brasileira: uma proposta para o ensino de Ciências. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–19, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.18226.034. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/18226. Acesso em: 12 ago. 2022.
Seção
Experiências Pedagógicas
Biografia do Autor

Bruna Marques Duarte, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutoranda do Programa de Pós Graduação para Ciência e Matemática da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Professora da Secretaria de Estado da Educação do Paraná - SEED/PR.

Rhuan Guilherme Tardo Ribeiro, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutorando do Programa de Pós Graduação para Ciência e Matemática da Universidade Estadual de Maringá. Professor de Matemática e Física no Colégio Estadual Indígena Teko Ñemoingo.

Dr. Luciano Carvalhais Gomes, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutor em Educação para Ciência e Matemática. Professor do Departamento de Física Departamento de Física e do Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência e a Matemática (PCM) da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

Referências

ANTONIL, A. J. Cultura e Opulência do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1982.

ALBERNAZ, A. C. R. Antropologia, Histórias e Temporalidades entre os Ava-Guarani de Oco’y (PR). Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=138163. Acesso em: 20 fev. 2021.

AQUILLA, R. A educação alimentar nutricional e alimentar no espaço escolar: saber sabor e saúde. 96 f. Dissertação (Mestrado em Educação nas Ciências) - Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ijuí, 2011. Disponível em: https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/bitstream/handle/123456789/284/ROSEMERI%20AQUILLA.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 19 fev. 2021.

COELHO, T. A cultura e seu contrário: cultura, arte e política pós-2001. São Paulo: Iluminuras, Itaú cultural, 2008.

BHABHA, H. K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

BRASIL. Lei n. 9.394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 19 Jun. 2021.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: Língua Portuguesa. Brasília: MECSEF, 1998.

BRASIL. Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Diário Oficial

da União, Brasília, 10 jan. 2003. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/l10.639.htm. Acesso em: 20 de mar. de 2021.

BRASIL. Lei nº 11.645, de 10 de Março de 2008. Diário Oficial

da União, Brasília, 10 mar. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm. Acesso em: 19 jun. 2021.

CANDAU, V. M. Multiculturalismo e educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. Multiculturalismo Diferenças Culturais e Práticas Pedagógicas. 2ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

CACHAPUZ, A. et al. A necessária renovação do ensino das Ciências. São Paulo: Cortez, 2005.

CASCUDO, L., C. História da alimentação no Brasil. 2. Ed. São Paulo: Global, 2004.

COUTINHO, C. Metodologia de Investigação em Ciências Sociais e Humanas. Coimbra: Almedina, 2013.

ERNANDES, M. A. M. A influência da culinária africana no Brasil. Cadernos PDE. Governo do Estado do Paraná, Secretaria de Estado da Educação, v.2, 2013. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2013/2013_fafipa_hist_pdp_marly_angela_martins_ernandes.pdf. Acesso em: 19 jun. 2021.

FREIRE, P. Conscientização e Alfabetização: uma nova visão do processo. Revista de Cultura da Universidade do Recife. Recife, n. 4, Abril-Junho, 1963. Disponível em: https://nepegeo.paginas.ufsc.br/files/2018/11/Paulo-Freire-Conscientiza%C3%A7%C3%A3o-e-alfabetiza%C3%A7%C3%A3o-Uma-nova-vis%C3%A3o-do-processo.pdf. Acesso em: 20 mar. 2021.

FREYRE, G. Casa-Grande & Senzala. 43 ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012.

LEITE, M. S. Sociodiversidade, alimentação e nutrição indígena. In: BARROS, D. C., SILVA, D. O., GUGELMIN, S. Â. (Orgs.). Vigilância alimentar e nutricional para a saúde Indígena. v. 1. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007. [p. 180-210].

LÜCK, H. Pedagogia interdisciplinar: fundamentos teórico-metodológicos. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

LUNA, Luiz. O Negro na luta contra a escravidão. Rio de Janeiro: Leitura, 1968.

LONTRA, Hilda OH. Visão de fora: identidade cultural brasileira no contexto da copa do mundo de 2014. Comunicaciones en Humanidades, Santiago de Chile, v.1, n. 4, 2017. Disponível em: http://revistas.umce.cl/index.php/Comunicaciones/article/view/745/726.Acesso em: 20 mar. 2021.

MACIEL, M. E. Uma Cozinha à Brasileira. Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 33, 2004. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2217/1356. Acesso em: 10 mar. 2021.

MALDANER, M. P. Educação e Cultura Indígena Guarani: Práticas Educacionais no Colégio Estadual Indígena Teko Ñemoingo, Tekoha Ocoy. 2016. Dissertação (Mestrado em Integração Contemporânea da América Latina) - UNILA, Foz do Iguaçu, 2016. Disponível em: https://dspace.unila.edu.br/handle/123456789/691?show=full. Acesso em: 22 fev. 2021.

MASCARIN. T. F. Alguns aspectos sobre alimentação: ênfase à contribuição do negro no período colonial. Revista espaço acadêmico. Maringá, n.171, p.61-68, 2015. Disponível em: https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/EspacoAcademico/issue/view/1020. Acesso em: 10 mar. 2021.

MIRANDA, R. Série Mesa Brasileira. In: Seminário Gastronomia em Gilberto Freyre, 2003. Anais [...] Recife, 2003.

NASCIMENTO, A. O Genocídio do Negro Brasileiro: processo de um racismo mascarado. São Paulo: Paz e Terra, 1978.

RIBEIRO, R. G. T.; MACHADO, S. R. A.; TRIVIZOLI, L. M. Conceitos geométricos em artesanatos e grafismos: uma tradição histórico-cultural de uma comunidade guarani. São Paulo: Livraria da Física, 2021.

ROCHA, G.; BRANDÃO A. Trabalho escravo contemporâneo no Brasil na perspectiva da atuação dos movimentos sociais. Revista Katál. Florianópolis, v.14, n.2, p.196-204, 2013. Disponível em https://www.scielo.br/j/rk/a/p35JR3swm56rQbZDZ44TspN/abstract/?lang=pt. Acesso em: 20 mar. 2021.

SONATI, J. G.; VILARTA, R.; SILVA, C. C. Influências Culinárias e Diversidade Cultural da Identidade Brasileira: Imigração, Regionalização e suas Comidas. In: MENDES, R.; VILARTA, R.; GUTIERREZ, G. L. (Orgs.). Qualidade de Vida e Cultura Alimentar. Campinas: IPES EDITORA, 2009.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa - ação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1986.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa. São Paulo, v.31, n.3, p.443-466, 2005. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ep/a/3DkbXnqBQqyq5bV4TCL9NSH/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 20 fev. 2021.