Análise dos fatores condicionantes ao desinvestimento Pedagógico na Educação Física escolar

Conteúdo do artigo principal

Igor Vargas Ferreira Teixeira
https://orcid.org/0000-0001-8283-6378
Dr.ª Soraya Dayanna Guimarães Santos
https://orcid.org/0000-0003-2623-4430

Resumo

No cenário da prática pedagógica no Brasil, alguns docentes vêm apresentando um desânimo constante com a profissão, o que faz com que desistam de sua função pedagógica, entrando assim em um estado de desinvestimento pedagógico. O objetivo do estudo foi analisar os fatores que contribuem para o desinvestimento pedagógico dos professores da Educação Física escolar. Participaram dois professores de Educação Física com características do desinvestimento e também a Diretora e a Supervisora pedagógica da escola onde esses docentes atuam. Foram utilizadas entrevistas semiestruturadas e observações não participantes para o desenvolvimento dessa pesquisa. Para o tratamento dos dados foi utilizada a análise do conteúdo. Os resultados demonstram que o desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar se trata de um fenômeno de caráter multifatorial, uma vez que ele se apresentou viabilizado por diversos fatores, como, procedimentos e características da instituição escolar e o perfil docente.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
TEIXEIRA, I. V. F. .; SANTOS, S. D. G. . Análise dos fatores condicionantes ao desinvestimento Pedagógico na Educação Física escolar. Olhar de Professor, [S. l.], v. 26, p. 1–21, 2023. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.26.20453.042. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20453. Acesso em: 17 jun. 2024.
Seção
Artigos em fluxo contínuo
Biografia do Autor

Igor Vargas Ferreira Teixeira, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Licenciado em Educação Física. Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Dr.ª Soraya Dayanna Guimarães Santos, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Doutora em Educação PPGE/CEDU/UFAL (2016). Mestre em Educação Brasileira PPGE/CEDU/UFAL (2011). Graduada em Educação Física pela Universidade Federal de Alagoas (2008). Especialista em Educação Física na Educação Básica pela Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (2009). É Membro-pesquisadora do Núcleo de Estudos em Educação e Diversidades (NEEDI/UFAL). Tem experiência nas áreas da Educação, da Educação Especial e da Educação Física Escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: a prática e a formação docente da Educação Básica à Educação Superior na perspectiva da inclusão educacional; Educação Física Adaptada; Fundamentos da Educação Física Escolar. Realizou um intercâmbio de mestrado na Pontífica Universidade Católica-SP (2010). Participou do PROCAD-PROJETO DE COOPERAÇÃO ACADÊMICA: UFAL, PUC/SP e UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ/RJ (2009-2012). Realizou doutorado Sanduíche na Universidade de Coimbra-Portugal (2013/2014). Foi Bolsista de Doutorado Capes (2012-2016). Docente do Instituto de Educação Física e Esporte (IEFE/UFAL) e do PPGE/UFV. Atualmente é membro da Comissão Coordenadora da Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação - PPGE/UFV.

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BERGER, A. G.; GINCIENE, G.; LEONARDI, T. J. Pedagogia do esporte e o referencial socioeducativo: diálogos entre a teoria e a prática. Movimento, Porto Alegre, v. 26, p. e26063, ago. 2020. Disponível em: https://www.scielo.br/j/mov/a/Wp9RRz9hT6B5MnTPZY4dhxd/?lang=pt&format=html. Acesso em: 28 mar. 2022.

BRASIL. LDB – Leis de Diretrizes e Bases. Lei nº 9.394. 1996. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf. Acesso em: 2 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.

DE SOUZA, S. P.; NASCIMENTO, P. R. B. do; FENSTERSEIFER, P. E. Atuação docente em Educação Física escolar: entre investimento e desinvestimento pedagógico. Motrivivência, Florianópolis, v. 30, n. 54, p. 143-159, jul. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/motrivivencia/article/view/2175-8042.2018v30n54p143/37040. Acesso em: 28 mar. 2022.

FARIA, B. de A.; MACHADO, T. da S.; Bracht, V. A inovação e o desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar: uma leitura a partir da teoria do reconhecimento social. Motriz, Rio Claro, v.18 n.1, p.120-129, jan./mar. 2012. Disponível em: https://www.scielo.br/j/motriz/a/YvpN9x6QjPCLCDYVWXjpbjD/?lang=pt&format=html. Acesso em: 28 mar. 2022.

FENSTERSEIFER, P. E.; GONZÁLEZ, F. J. Educação Física E Cultura Escolar: Critérios Para Identificação Do Abandono Do Trabalho Docente. In: III Congresso Sul Brasileiro de Ciências do Esporte. 2006. Disponível em: https://www.academia.edu/1870129/Educa%C3%A7%C3%A3o_F%C3%ADsica_e_cultura_escolar_crit%C3%A9rios_para_identifica%C3%A7%C3%A3o_do_abandono_do_trabalho_docente. Acesso em: 28 mar. 2022.

FLICK, U. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, C. E. E. E. et al. Formación continua en la formación docente. Revista Conrado, Cienfuegos, v. 13, n. 58, p. 30-35, mai. 2017. Disponível em: https://conrado.ucf.edu.cu/index.php/conrado/article/view/469/503. Acesso em: 28 mar. 2022.

HUBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. Porto: Porto, v.1, p. 31-61, 1995.

MACHADO, T. da S. et al. As práticas de desinvestimento pedagógico na Educação Física escolar. Movimento, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 129-147, abr/jun. 2010.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 1999. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1153/115316043007.pdf. Acesso em: 28 mar. 2022.

TORMES, J. R.; MONTEIRO, L.; MOURA, L. C. S. G. de A. Estudo de caso: uma metodologia para pesquisas educacionais. Ensaios Pedagógicos (Sorocaba), vol.2, n.1, jan./abr. 2018, p.18-25. ISSN:2527-158X.

PEREIRA, O. Á.; ILHA SILVA, F. R. da; AFONSO, M. da R. Um “olhar” sobre as práticas de desinvestimento pedagógico nas aulas de educação física em escolas municipais de Pelotas-RS. Humanidades & Inovação, v. 8, n. 44, p. 170-188, 2021. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/3043. Acesso em: 28 mar. 2022.

PICH, S.; SCHAEFFER, P. A.; CARVALHO, L. P. de. O caráter funcional do abandono do trabalho docente na Educação Física na dinâmica da cultura escolar. Educação, Santa Maria, v. 38, n. 3, p. 631-643, set/dez. 2013. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1171/117128364014.pdf. Acesso em: 28 mar. 2022.

SAMPAIO, M. das M. F.; MARIN, A. J. Precarização do trabalho docente e seus efeitos sobre as práticas curriculares. Educação & Sociedade, Campinas, v. 25, p. 1203-1225, set/dez. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/t7pjz85czHRW3GcKpB9dmNb/?lang=pt. Acesso em: 28 mar. 2022.

SANTINI, J.; NETO, V. M. A síndrome do esgotamento profissional em professores de educação física: um estudo na rede municipal de ensino de Porto Alegre. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 19, n. 3, p. 209-222, jul/set. 2005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/16596/18309. Acesso em: 28 mar. 2022.

SILVA, E. B. T. Mecanismos de defesa do ego. Psicologia. PT: O Portal dos psicólogos. Minas Gerais, v. 7, n. 1, p. 1-5, 2010. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/TL0212.pdf. Acesso em: 28 mar. 2022.

SILVA, M. S.; BRACHT, V. Na pista de práticas e professores inovadores na educação física escolar. Kinesis, Santa Maria, v. 30, n. 1, jun. 2012. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/kinesis/article/view/5718/3394. Acesso em: 28 mar. 2022.