Ensino de História na ótica das práticas educativas inclusivas: análise das produções acadêmicas brasileiras (2004-2021)

Conteúdo do artigo principal

Mestranda Karine Maria Lima Lopes
https://orcid.org/0000-0003-1954-6591
Dr.ª Eliza Márcia Oliveira Lippe
https://orcid.org/0000-0002-8832-2893

Resumo

Este artigo tem como finalidade compreender e analisar as articulações entre o ensino de História e as práticas pedagógicas voltadas à Educação Inclusiva. Para tanto, investigamos um conjunto de dissertações e de teses – no período de 2004 a 2021 – que explicitaram a análise de experiências de alunos, professores e demais membros da comunidade escolar no que tange à formulação didática e à execução processual de propostas de lecionar História que suscitaram o debate crítico acerca da inclusão em sala de aula. Nesse sentido, esta pesquisa de caráter quantitativo e qualitativo teve como instrumento de investigação o Banco Digital de Teses e Dissertações, pautando-se em categorias de análise, tais como abordagens metodológicas, conceitos, vinculação com linhas de pesquisa, sujeitos participantes e lócus de desenvolvimento das produções acadêmicas brasileiras. À luz das discussões historiográficas correlatas ao tema, percebemos o aumento expressivo de dissertações relativas aos usos da metodologia etnográfica para reflexão docente sobre os processos de ensino-aprendizagem peculiares, principalmente, dos discentes que apresentam Transtornos Globais do Desenvolvimento.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
LOPES, K. M. L. .; LIPPE, E. M. O. Ensino de História na ótica das práticas educativas inclusivas: análise das produções acadêmicas brasileiras (2004-2021). Olhar de Professor, [S. l.], v. 26, p. 1–24, 2023. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.26.21240.028. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/21240. Acesso em: 20 abr. 2024.
Seção
Artigos em fluxo contínuo
Biografia do Autor

Mestranda Karine Maria Lima Lopes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte/Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Mestranda em História pelo Programa de Pós-Graduação História & Espaços vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte (PPGH-UFRN), especificamente na linha de pesquisa formação, institucionalização e territorialização dos espaços. Graduada em História (Licenciatura) pela mesma instituição e integrante do grupo de pesquisa "Os espaços na modernidade" (UFRN). Tem experiência no desenvolvimento e elaboração de propostas de pesquisas e materiais didáticos nas áreas de História do Brasil República, História Urbana, História do Rio Grande do Norte, Ensino de História, bem como na gestão e na catalogação de documentos materiais abrigados em instituições públicas do poder judiciário. Ao longo de sua formação docente na graduação, atuou como bolsista de Iniciação Científica (PIBIC) entre os anos de 2017 e 2021, como integrante voluntária do Programa Residência Pedagógica (2020-2021), integrante do projeto de extensão que resultou no filme A província moderna (2018-2019) e estagiária do Memorial da Justiça do Trabalho do Rio Grande do Norte (TRT 21 - Setor de Gestão Documental e Memória). Atualmente, desenvolve uma dissertação relativa à construção e aos usos sociais das praças edificadas na cidade de Natal, nas três primeiras décadas do século XX.

Dr.ª Eliza Márcia Oliveira Lippe, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Minas Gerais

Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Mestrado em Educação para Ciências pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho campus Bauru. Especialização na área educacional em: Libras; Avaliação Educacional; Psicopedagogia Clínica e Educacional; Atendimento Educacional Especializado nas salas de recursos multifuncionais; Autismo. Especialização em Direito Penal, Constitucional e Administrativo. Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho campus Bauru e em Pedagogia pela Universidade Nove de Julho. Membro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial (ABPEE) Membro do ENCINE - grupo de estudos em ciências e inclusão escolar da Unesp/Ilha Solteira. Atuou como professora de Educação especial na sala de recursos multifuncional de Campinas (2019 - 2020). Atuou como professora do ensino superior nos cursos de administração, comércio exterior e educação física ministrando a disciplina de Libras. Atuou como professora da Escola de Aplicação da FEUSP ministrando a disciplina de Ciências. Atuou como coordenadora acadêmica dos cursos de Administração e Comércio Exterior na Faculdade Iescamp (2016 - 2018) Atualmente é professora tutora do FGV Online na disciplina de Libras e professora visitante no IFMG campus Arcos na area da Educação Especial / Libras. Linhas de Pesquisa: Avaliação Educacional, Gestão democrática, Educação inclusiva, Libras, Fundamentos da Educação e Financiamento da Educação

Referências

ALMEIDA, R. C. de. O lugar dos índios na História: dos bastidores ao palco. In: ALMEIDA, R. C. de. Os índios na História do Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Declaração de Salamanca, Brasília, 1994. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf>. Acesso em: 25 ago. 2022.

BRASIL. Relatório 1979-1985. Brasília: 1985. Disponível em: <https://www.funag.gov.br/chdd/images/Relatorios/Relat%C3%B3rio%201979.pdf>. Acesso em: 26 set. 2022.

BRASIL. Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília, Distrito Federal (DF), 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em 26 set. 2022.

BRASIL, Secretaria de Educação Fundamental. Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do Ensino Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. 174p.

BRASIL, Ministério da Educação. Censo Escolar 2021: Divulgação dos Resultados. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), Diretoria de Estatísticas Educacionais, 2022.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidente da República, [2022]. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em 02 fev. 2023.

BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Ensino de História: fundamentos e métodos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

CARDOSO, H. S. A escola que os índios querem: experiência escolar indígena Potiguara no Catu dos Eleotérios em Canguaretama/RN. 2019. 88f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História - Profhistoria) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2019.

COIMBRA, F. C. C. L. Aluno com deficiência visual: perspectivas de educação profissional inclusiva na história e na memória do Instituto Federal do Pará - Campus Belém de 2009 a 2012. 2012. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD). Disponível em: <http://www.ibict.br/informacao-para-ciencia-tecnologia-e-inovacao%20/biblioteca-digital-Brasileira-de-teses-e-dissertacoes-bdtd/apresentacao>. Acesso em: 08 set. 2022.

FICO, C. A pós-graduação em História: tendências e perspectivas da área. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v.22, n.3, jul.-set. 2015, p. 1019-1031. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0104-59702015000300021>. Acesso em: 01 out. 2022.

FRANCO, M. A. S. Professor-pesquisador: utopia ou necessidade político-pedagógico. In: BAROSA DE AZEVEDO, Crislane. Docência em História: experiências de estágio supervisionado e formação do professor-pesquisador. Natal: EDUFRN, 2017.

FERREIRA, A. A. História local em sala de aula: quilombos de Minas e identidade quilombola no século XXI. 2016. 145f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2016.

FERNANDES, A. T. de C. Produção e uso do material didático. In: VIANA, H. do N. V.; ROCHA, R. N. A. da; ARRAIS, R. P. A. Cidade e diversidade: itinerários para a produção de materiais didáticos em História. Natal: EDUFRN, 2012.

GOMES, D. R. Mē Ixujarēnh - ausência, presença e busca: o ensino de História na Escola Indígena Tekator do povo Panhĩ - Apinajé. 2016.182f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Araguaína, 2016.

GONÇALVES, T. G. G. L. Alunos com deficiência na educação de jovens e adultos em assentamentos paulistas: experiências do PRONERA. 2014. 203 f. Tese (Doutorado em Ciências Humanas) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2014.

KUMADA, K. M. O. Fundamentos históricos, filosóficos e pedagógicos da Educação Especial e Inclusiva [recurso eletrônico]. Santo André: Universidade Federal do ABC, São Paulo, 2022.

MICHELS, M. H. (Org.). A formação de professores de Educação Especial no Brasil: propostas em questão. Florianópolis: UFSC/CED/NUP, 2017. 274p.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão Escolar: o que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Editora Moderna, 2003.

MARLI ANDRÉ, E. D. A. Pesquisa em educação: buscando rigor e qualidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 113, p. 51-64, julho/2001. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0100-15742001000200003>. Acesso em: 01 out. 2022.

MARTINS, L. de A. R. Reflexões sobre a formação de professores com vistas à educação inclusiva. In: MIRANDA, T. G.; GALVÃO FILHO, T. A. O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012.

LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. Ed. São Paulo: EPU, 2008.

LOUREIRO MAIOR, I. M. M. de. Movimento político das pessoas com deficiência: reflexões sobre a conquista de direitos. Inclusão Social, Brasília, DF, v. 10, n.2, p.28-36, jan./jun.2017. Disponível em: <https://revista.ibict.br/inclusao/article/view/4029/3365>. Acesso em: 01 out. 2022.

LIMA, J. F. O indígena no livro didático: possibilidades e desafios no uso da linguagem imagética no ensino de História. 2016. 118f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de História) – Universidade Federal do Tocantins, Programa de Pós-Graduação em Ensino de História, Araguaína, 2016.

OMOTE, S. Quatro décadas de Educação Especial no estado de São Paulo. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 33, e60 /1–20, 2020. Disponível em: <https://doi.org/10.5902/1984686X53133>. Acesso em: 01 out. 2022.

PROST, A. Doze lições sobre História. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

RAPOLI, E. A.; MANTOAN, M. T. E.; TEIXEIRA DOS SANTOS, M. T. da C.; MACHADO, R. A Educação Especial na perspectiva da Inclusão escolar. Brasília: Ministério da Educação da Educação, Secretaria de Educação Especial, 2010.

SILVA, L. H. A concepção de êxito no ensino de história para alunos com deficiência intelectual. 2009. 128 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, 2009.

SANTOS, P. J. de A. dos. Ensino de História para alunos surdos em classes inclusivas: práticas e propostas. 2018. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de História, Programa de Pós-Graduação em ensino de História, 2018.

TEIJEIRO, T. T. G. A presença das mulheres no ensino de história na Educação de Jovens e Adultos. Dissertação (Mestrado Profissional) – Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Campinas(SP), 2020.