A importância da Educação Especial e Inclusiva na formação de docentes: uma experiência de Estágio Supervisionado no Atendimento Educacional Especializado em contexto de pandemia

Conteúdo do artigo principal

Denize Cristina Kaminski Ferreira
http://orcid.org/0000-0002-4920-1933
Marcos Cezar Simioni da Cruz
https://orcid.org/0000-0002-3528-2373

Resumo

A legislação atual assegura o direito à educação de forma irrestrita aos cidadãos brasileiros, independentemente de qualquer condição, desse modo, a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais preferencialmente na rede regular de ensino constitui-se como um dever do Estado. Entende-se que a formação de docentes não pode desconsiderar este contexto. Assim, neste trabalho apresenta-se uma experiência de estágio supervisionado no Atendimento Educacional Especializado, realizada na rede municipal de Campina Grande do Sul (PR), a qual conta com sete salas de recursos multifuncionais que atendem a 84 crianças público-alvo da Educação Especial. Nestas salas foram alocadas 35 estagiárias do curso de Pedagogia de uma Instituição de Ensino Superior local, com o intuito de oportunizar vivências nesta modalidade de ensino, em contexto de pandemia. Este relato evidencia potencialidades advindas de parcerias estabelecidas entre Educação Especial e comunidade escolar, fomentando reflexões profícuas acerca da garantia do direito à educação na perspectiva inclusiva.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
FERREIRA, D. C. K.; CRUZ, M. C. S. da. A importância da Educação Especial e Inclusiva na formação de docentes: uma experiência de Estágio Supervisionado no Atendimento Educacional Especializado em contexto de pandemia. Olhar de Professor, [S. l.], v. 24, p. 1–20, 2021. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.24.18440.091. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/18440. Acesso em: 14 jun. 2024.
Seção
Educação Inclusiva: pesquisas, políticas e práticas pedagógicas
Biografia do Autor

Denize Cristina Kaminski Ferreira, Universidade Federal do Paraná - UFPR

Pedagoga, especialista em Educação Especial e Inclusiva, Mestre e Doutora em Educação (UFPR). Atualmente é Professora Adjunta na Faculdade de Campina Grande do Sul e Avaliadora ad hoc da Educação Superior do Ministério da Educação (INEP-MEC).

Marcos Cezar Simioni da Cruz, Secretaria Municipal de Campina Grande do Sul-PR

Pedagogo, Especialista em Educação Especial e Neuropsicopedagogia. Gestor da Educação Especial na Secretaria Municipal da Educação de Campina Grande do Sul (PR).

Referências

ALVES, Gilberto. A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande, MS: Ed. UFMS; Campinas: Autores Associados, 2001.
ALVES, D.O, GOTTI, M.O Atendimento Educacional Especializado - Concepção, princípios e aspectos organizacionais. In: BRASIL. Ensaios Pedagógicos. Brasilia: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Especial, 2006.
BATISTA, C. A. M.; MANTOAN, M. T. E. Atendimento Educacional Especializado para Deficiência Mental. Brasília: MEC/SEESP, 2005.

BATISTA, C. A. M. Atendimento Educacional Especializado para pessoas com deficiência mental. In: MANTOAN, M. T. E. (Org.). O desafio das diferenças nas escolas. Petrópolis: Vozes, 2013.
BOBBIO, N. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.
BRASIL. Constituição Federal de 1988. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.
BRASIL. Lei nº 4.024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.
BRASIL. Lei nº 5.692 de 11 de agosto de 1971. Fixa as Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus e dá outras providências. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.
BRASIL. Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.
BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.005 de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Disponível em Acesso em 21 jun. 2021.
BRASIL. Lei nº 13.146 de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência) Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.html> Acesso em 21 jun. 2021.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 2 de 20 de dezembro de 2019. Dá nova redação ao Parecer CNE/CP 21/2001, que estabelece a duração e a carga horária dos cursos de Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/028.pdf> Acesso em 25 jun. 2021.

BRASIL. Parecer CNE/CP nº 28 de 02 de outubro de 2001. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file > Acesso em 25 jun. 2021.
BRASIL. Resolução CNE/CEB nº 4 de 2 de outubro de 2009. Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, na modalidade Educação Especial. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf> Acesso em 01 out. 2019.
BRASIL/CNE. Resolução CNE/CP nº 1 de 15 de maio de 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. Disponível em Acesso em 01 jul. 2021.
CAMPINA GRANDE DO SUL. Decreto Municipal nº 1.305 de 21 de maio de 2020. Estabelece regime especial para as atividades escolares, em decorrência da pandemia causada pela Covid-19. Disponível em < https://leismunicipais.com.br/a1/pr/c/campina-grande-do-sul/decreto/2020/131/1305/decreto-n-1305-2020-estabelece-regime-especial-para-as-atividades-escolares-em-decorrencia-da-pandemia-causada-pelo-covid-19-no-ambito-do-municipio-de-campina-grande-do-sul-estado-do-parana> Acesso em 13 jul. 2021.
CURY, C. R. J. Direito à educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cadernos de Pesquisa, n. 116, p. 245-262, jul./2002.
DUARTE, C. S. Reflexões sobre a justiciabilidade do direito à educação no Brasil. In: HADDAD, S.; e GRACIANO, M. (Org.). A educação entre os direitos humanos. Campinas, SP: Autores Associados; São Paulo: Ação Educativa, 2006.
FÁVERO, E. A. G., PANTOJA, L. M. P., MANTOAN, M. T. E. Atendimento Educacional Especializado: aspectos legais e orientações pedagógicas. In: BRASIL. Formação Continuada a Distância de professores para o AEE. Brasília: MEC/SEESP, 2007.
FERREIRA, D. C. K. Salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE) na rede regular pública de ensino paranaense: desafios, limites e possibilidades do paradigma inclusivo. Revista da Educação Especial, v. 29 n. 55, p. 281-294, maio/ago. 2016.
LIMA, S. M. de; REALI, A. M. de M. R. O papel da formação básica na aprendizagem profissional da docência (aprende-se a ensinar no curso de formação básica?). In: REALI, A. M. M. R.; MIZUKAMI, M. G. N. (orgs.). Formação de professores: Práticas pedagógicas e escola. São Carlos: Ed. UFSCar, 2002, p. 217-235.
MACHADO, R. Educação Especial na Escola Inclusiva: Políticas, Paradigmas e Práticas. São Paulo: Cortez, 2009.
MANTOAN, M. T. E. Educação Inclusiva - Orientações pedagógicas. In: BRASIL. Formação Continuada a Distância de professores para o AEE. Brasília: MEC/SEESP, 2007.
MANTOAN, M. T. Inclusão Escolar: Caminhos, descaminhos, desafios e perspectivas. In: MANTOAN, M. T. (orgs). O desafio das diferenças nas escolas. Petrópolis-RJ: Vozes, 2013, p. 29-55.
PARANÁ. Instrução Normativa SEED/SUED nº 09/2018. Estabelece critérios para o Atendimento Educacional Especializado por meio da Sala de Recursos Multifuncionais. Disponível em Acesso em 01 jul. 2021.
PIMENTA, Selma Garrido. O Estágio na formação do professor: unidade teoria e prática? São Paulo: Cortez, 2002.
RODRIGUES, David (Org.). Inclusão e Educação, Doze olhares sobre a educação inclusiva. São Paulo: Summus Editorial, 2006.
SACERDOTE, H. C. S. A mediação segundo Feuerstein e o uso da informação em S119m educação on-line. 2018. 229 p. Tese (Doutorado). Universidade de Brasília. Brasília, 2018.