A BNCC e as DCNERER: aproximações e proposições para o trabalho com a temática da Educação Étnico-Racial a partir da Pedagogia Decolonial

Conteúdo do artigo principal

Mestranda Jaqueline Ferreira Justino
https://orcid.org/0000-0002-0136-1612
Prof.ª Daiane Cecília Cagnin
https://orcid.org/0000-0001-8183-6296
Dr.ª Claudete de Sousa Nogueira
https://orcid.org/0000-0002-3919-942X

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar como as propostas das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana estão consideradas no contexto da Base Nacional Comum Curricular atrelando a Pedagogia Decolonial à possibilidade para o desenvolvimento de uma Educação para as Relações Étnico-Raciais que considere a História e Cultura Africana e Afro-Brasileira nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Para tanto, a revisão da literatura foi considerada para subsidiar proposições, tendo como referenciais teóricos os autores e as autoras do Grupo Modernidade/Colonialidade. Embora aproximações entre os referidos documentos apareçam de forma superficial, a possibilidade de trabalho com as Pedagogia Decolonial mostra-se como uma oportunidade de garantir o direito a uma Educação para as Relações Étnico-Raciais em uma perspectiva afrodiaspórica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
JUSTINO, J. F. .; CAGNIN, D. C. .; NOGUEIRA, C. de S. . A BNCC e as DCNERER: aproximações e proposições para o trabalho com a temática da Educação Étnico-Racial a partir da Pedagogia Decolonial. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–19, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.20448.068. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20448. Acesso em: 6 fev. 2023.
Seção
A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) no contexto das reformas educacionais
Biografia do Autor

Mestranda Jaqueline Ferreira Justino, Secretaria Municipal de Educação de Araraquara

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras (FCL) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), Campus de Araraquara/SP. Licenciada em Pedagogia, pela Universidade Paulista (UNIP). Especialista em História e Cultura Afro-Brasileira pela Faculdade São Luís e Alfabetização e Letramento pelo Centro Universitário Barão de Mauá. Colaboradora do Grupo de Estudos e Pesquisas "Práticas Pretagógicas". Atualmente atua como Professora de Ensino Fundamental I na Prefeitura Municipal de Américo Brasiliense e Professora de Educação Infantil na Prefeitura Municipal de Araraquara. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação.

Prof.ª Daiane Cecília Cagnin, Universidade Estadual Paulista em Araraquara - UNESP

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2015). Graduanda em Letras pela Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP). Pós-graduada em Psicopedagogia Institucional pela Faculdade São Luís. Atualmente é Professor de Educação Básica I do Governo do Estado de São Paulo e Professor de Educação Básica I da Prefeitura Municipal de Américo Brasiliense. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação.

Dr.ª Claudete de Sousa Nogueira, Universidade Estadual Paulista em Araraquara - UNESP

Atualmente é docente assistente Doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). É pesquisadora associada do Centro de Estudos das Línguas e Culturas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN), do Laboratório de Estudos Africanos, Afrobrasileiros e da Diversidade (LEAD).Coordenadora do Grupo de pesquisa Educação das relações etnicorraciais (ERE) Coordenadora Executiva do Núcleo Negro UNESP para Pesquisa e Extensão (NUPE) . É líder do Grupo de Pesquisa Políticas Sociais, relações Étnico-Raciais e Cidadania. Tem experiência na área de Ensino de História e Geografia, Educação e Cultura, com ênfase em Relações Etnicorraciais e Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, cultura,identidade étnica e memória,formação de professores.

Referências

BONFIM, P. R. Educação Eugênica: as recomendações de Renato Kehl a educadores, pais e escolares. History Of Education In Latin America, Natal, v. 2, p. 2-16, 2019. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/histela/article/view/17449 Acesso em: 25 set. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular (BNCC): Educação é a Base. Brasília, DF, Ministério da Educação, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2004.

BRASIL. Lei n° 10.639 de 09 de janeiro de 2003. Inclui a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira” no currículo oficial da Rede de Ensino. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, 09 jan. 2003.

BRASIL. Lei n° 11.645 de 10 de março de 2008. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, 10 mar. 2008.

CARTH, J. L. A Base Nacional Comum Curricular e a aplicação da política de Educação para Educação das Relações Étnico-Raciais (afro-brasileira, quilombola, cigana). 2019. Disponível em: http://etnicoracial.mec.gov.br/images/pdf/artigos/A-BNCC2018-e-a-ERER.pdf. Acesso em: 25 set. 2022.

DOMINGUES, P. J. Movimento da negritude: uma breve reconstrução histórica. África: Revista do Centro de Estudos Africanos da USP, São Paulo, v. 25, p. 193-210, 2005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/africa/article/view/74041 Acesso em: 25 set. 2022.

DOMINGUES, P. Movimento negro brasileiro: alguns apontamentos históricos. Tempo, v. 12, n. 23, p. 100-122, 2007. http://dx.doi.org/10.1590/s1413-77042007000200007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tem/a/yCLBRQ5s6VTN6ngRXQy4Hqn/abstract/?lang=pt Acesso em: 25 set. 2022.

DOMINGUES, P. Um “templo de luz”: frente negra brasileira (1931-1937) e a questão da educação. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, p. 517-534, dez. 2008. http://dx.doi.org/10.1590/s1413-24782008000300008. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbedu/a/hqBHpKJHNtbrVMgJb3Fpv9M/abstract/?lang=pt Acesso em: 25 set. 2022.

FAUSTO, B. História do Brasil. 12. ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2006.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança [recurso eletrônico]: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 1. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GOMES, N. L. O Movimento Negro educador: saberes construídos nas lutas por emancipação - Petrópolis, RJ: Vozes, 2018.

GONÇALVES, L. A. O.; SILVA, P. B. G. e. Movimento negro e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 15, p. 134-158, dez. 2000.

NOGUEIRA, C. S.; SILVA, E. A. BNCC, Ensino Fundamental e Educação das relações étnico-racial. In: CRUZ, L. C. R. (org.). Educação das relações étnico-raciais: Histórias, Culturas afro-brasileira e africana. 1. ed. Veranópolis, RS: Diálogo Freiriano, 2020, v.1, p. 16-35.

OLIVEIRA, I. B. de. Políticas curriculares no contexto do golpe de 2016: debates atuais, embates e resistências. In: AGUIAR, M. A.; DOURADO, L. F. (org.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. Recife: Associação Nacional de Políticas e Administração da Educação, 2018. p. 55-59.

OLIVEIRA, L. F. de. O que é uma educação decolonial? Novamerica, Rio de Janeiro, n. 146, p. 35-39, 2016. Disponível em: https://www.academia.edu/23089659/O_QUE_%C3%89_UMA_EDUCA%C3%87%C3%83O_DECOLONIAL Acesso em: 25 set. 2022.

OLIVEIRA, L. F. de; CANDAU, V. M. F. Pedagogia decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista, v. 26, n. 1, p. 15-40, abr. 2010. http://dx.doi.org/10.1590/s0102-46982010000100002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/edur/a/TXxbbM6FwLJyh9G9tqvQp4v/abstract/?lang=pt Acesso em: 25 set. 2022.

OLIVEIRA, L. F. de; LINS, M. R. F. (org.). Pedagogia Decolonial e Didática Antirracista. In: CANDAU, Vera Maria. Pedagogias Decoloniais e Interculturalidade: insurgências. Rio de Janeiro: Apoena, 2020.

PEREIRA, N. M., & RODRIGUES, M. C. M. BNCC e o passado prático: Temporalidades e produção de identidades no ensino de história. Arquivos Analíticos de Políticas Educativas, v. 26, n. 107, 2018. http://dx.doi.org/10.14507/epaa.26.3494. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/187986 Acesso em: 25 set. 2022.

PRUDENTE, E. Dados do IBGE mostram que 54% da população brasileira é negra. 2020. Disponível em: https://jornal.usp.br/radio-usp/dados-do-ibge-mostram-que-54-da-populacao-brasileira-e-negra/. Acesso em: 21 abr. 2022.

WALSH, C. Interculturalidade Crítica e Pedagogia Decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. M. (org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.