Notas sobre os estudos do processo de orientação entre orientador e orientando: dos modelos de universidade a uma reflexão dialógica na pós-graduação stricto sensu brasileira no contexto do Mestrado Profissional (PROFLetras) de los modelos universitarios a una reflexión dialógica en los programas de posgrado stricto sensu brasileños en el contexto de la Maestría Profesional (PROFLethras)

Conteúdo do artigo principal

Doutorando Wallace Dantas
https://orcid.org/0000-0002-9716-644X
Prof.ª Dr.ª Eliete Correia dos Santos
https://orcid.org/0000-0002-5491-5711

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar parte de uma pesquisa já concluída e que tem como objetivo geral investigar, à luz de uma perspectiva dialógica do discurso, o processo de interação verbal entre orientando e orientador no contexto de um mestrado profissional (MP) (PROFLetras), de uma universidade pública brasileira. Neste texto, é apresentada a parte da revisão da literatura, a partir dos conceitos de universidade, dando destaque àquele que fundamenta a criação da pós-graduação brasileira e chegando a notas que tratam de tal processo de orientação sob a égide de pesquisas já realizadas em especial no âmbito da pós-graduação acadêmica e na área de educação. Em outro momento, propomos um conceito para o que pode ser entendido como orientação acadêmica – numa vertente bakhtiniana. Os resultados preliminares apontam para a necessidade de se compreender o protagonismo desses sujeitos sociais – orientador e orientando - no contexto do MP que é onde o professor da educação básica está a desenvolver sua pesquisa de cunho aplicado.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
DANTAS, W.; SANTOS, E. C. dos. Notas sobre os estudos do processo de orientação entre orientador e orientando: dos modelos de universidade a uma reflexão dialógica na pós-graduação stricto sensu brasileira no contexto do Mestrado Profissional (PROFLetras): de los modelos universitarios a una reflexión dialógica en los programas de posgrado stricto sensu brasileños en el contexto de la Maestría Profesional (PROFLethras). Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–24, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.20919.071. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20919. Acesso em: 6 fev. 2023.
Seção
Caderno temático "As reformas educacionais no Ensino Superior"
Biografia do Autor

Doutorando Wallace Dantas, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Graduado em Letras (Língua Vernácula) pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG, no Centro de Formação de Professores/CFP. Pós-Graduado em Ensino de Português e Linguística/Especialização, pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos da Linguagem, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte/UFRN. Pós-Graduado em Linguagem e Ensino/Mestrado (Linguagem e Formação Docente), pelo Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino, da Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. Professor da rede privada de ensino do Estado da Paraíba-PB. Integrante do Grupo de Pesquisa "O Círculo de Bakhtin em Diálogo" (UEPB) cadastrado e certificado no CNPq.

Prof.ª Dr.ª Eliete Correia dos Santos, Universidade Estadual da Paraíba / Universidade Federal de Campina Grande - UEPB/UFCG

Pós-doutorado em Educação Contemporânea pela UFPE - PNPD-CAPES. Doutora em Linguística pelo PROLING/UFPB. Concluiu o doutorado sanduíche (Estágio Avançado de Doutoramento), na Universidade do Porto - PT, na interface com o Curso de Ciência da Informação e Linguística. Mestre em Linguagem e Ensino pela UFCG. Possui graduação em Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Caruaru. Atualmente é professora da Universidade Estadual da Paraíba - do Curso de Arquivologia. Profa. Colaboradora do PPGLE-UFCG e do PPGFP- UEPB. Experiência na área de Linguística, Tecnologias Educacionais e Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Linguagem e Arquivologia, tecnologias educacionais, gêneros acadêmicos, linguagem e ensino, letramento, estudos Bakhtinianos.

Referências

ALVES, V. M.; ESPINDOLA, I. C. P.; BIANCHETTI, L. A relação orientador-orientando na Pós-graduação stricto sensu no Brasil: a autonomia dos discentes em discussão. Revista Educação em Questão, Natal, v. 43, n. 29, p. 135-156, maio-ago. 2012. Disponível em https://periodicos.ufrn.br/educacaoemquestao/article/view/4071 . Acesso em 21 fev. 2022.

ALVES, V. M. Formação e trabalho de pesquisadores em educação: um estudo dos processos de institucionalização da pesquisa em IES ‘emergentes’. 2008. 308 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2008. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/91159. Acesso em: jan. 2022.

BAKHTIN, M. Para uma filosofia do ato. Tradução de Carlos Alberto Faraco e Cristovão Tezza da edição americana Toward a philosophy of the act. Austin: University of Texas Press, 1993. (tradução destinada exclusivamente para uso didático e acadêmico).

BIANCHETTI, L. Dilemas e perspectivas para a atuação dos Orientadores Educacionais no contexto da chamada pós-modernidade. Cadernos da Aoergs, Porto Alegre - RS, v. 1, n.1, p. 28-44, 1997.

BIANCHETTI, L. Os dilemas do coordenador de Programa de Pós-Graduação: entre o burocrático-administrativo e o acadêmico-pedagógico. Forpred, UnB, março de 2006. Mimeo.

BIANCHETTI, L. Pesquisadores sobre pressão. Pós-graduação, produção e veiculação do conhecimento e emergência de uma nova temporalidade. Projeto de Pesquisa, Florianópolis, julho de 2007. Mimeo.

BIANCHETTI, L. Pós-graduação em educação: processo e resultados de uma “indução voluntária”. Universidade e Sociedade, Brasília, ANDES, n. 41, p. 143-164, 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES. Portaria nº 080, de 16 de dezembro de 1998. Dispõe sobre o reconhecimento dos mestrados profissionais e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 14, 11 jan. 1999. Disponível em: http://www.capes.gov.br/export/sites/capes/download/legislacao/Portaria_CAPES_080_1998.doc. Acesso em: 22 fev. 2022.

BORTOLANZA, J. Trajetória do Ensino Superior Brasileiro – uma busca da origem até a atualidade. In: Colóquio Internacional de Gestão Universitária: Universidade, desenvolvimento e futuro na Sociedade do conhecimento, 17., 2017, Argentina. Anais [...] Argentina, 2017, p. 1-16.

CONTO, S. F. de.; NUNES, R. da. O documento de área da CAPES e o impacto na gestão de recursos de pós-graduação stricto sensu: um estudo na área de comunicação e informação. In: Simpósio Avaliação da Educação Superior, 3., 2017, Florianópolis. Anais [...] Florianópolis, 2017. p. 1-16. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/179380 . Acesso em: 22 fev. 2022.

CURY, C. A. J. Graduação/Pós-Graduação: a busca de uma relação virtuosa. Educação e Sociedade, Campinas/SP, v. 25, n. 88, p. 777-793, out. 2004.

DUARTE, N. A pesquisa e a formação de intelectuais críticos na pós-graduação em educação. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p.89 -110, jan.-jun. 2006.

FARACO, C. A. Linguagem e Diálogo: as ideias linguísticas do Círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. 168p.

FERREIRA, L. M.; FURTADO, F.; SILVEIRA, T. S. Relação Orientador-Orientando: o conhecimento multiplicador. Acta Cirúrgica Brasileira, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 170-172, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-86502009000300001&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 21 fev. 2022.

FERREIRA, L. G. Desenvolvimento profissional docente: percursos teóricos, perspectivas e (des)continuidades. Educação em Perspectiva, Viçosa, MG, v. 11, n. 00, p. e020009, 2020. DOI: 10.22294/eduper/ppge/ufv.v11i.9326. Disponível em: https://periodicos.ufv.br/educacaoemperspectiva/article/view/9326 Acesso em: 21 fev. 2022.

GARCIA, R. L.; ALVES, N. A necessidade da orientação coletiva nos estudos sobre cotidiano - duas experiências. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (org.). A bússola do escrever. Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. São Paulo e Florianópolis: Cortez e Editora da UFSC, 2002.

HOSTINS, R. C. L. Os planos nacionais de Pós-Graduação (PBPG) e suas repercussões na Pós-Graduação brasileira. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 133-160, jan.-jun. 2006. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/10315 Acesso em 22 fev. 2022.

JORGE, M. T. S. Será o saber escolar supérfluo no mundo das novas tecnologias? Educação e Sociedade, v. 19, n. 65, p. 163-178, 1998.

LEITE FILHO, G. A.; MARTINS, G. de A. Relação orientador-orientando e suas influências na elaboração de teses e dissertações. RAE, v. 46, p. 99-109, nov.-dez. 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75902006000500008 Acesso em: 21 fev. 2022.

LIMA, P. G.; CASTRO, F.; CARVALHO, M. A. V. de. Caminhos da Universidade rumo ao século XXI: pontos e estratégias para a sua orientação na visão de educadores brasileiros. Paidéia, Ribeirão Preto, p. 8 -27, jan.-jul. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-863X2000000100002 Acesso em: 21 fev. 2022.

MACHADO, A. M. N.; BIANCHETTI, L. Orientações de teses e dissertações: individual e/ou coletiva? Contextos e transformações nos 40 anos da pós-graduação stricto sensu em educação no Brasil. In: SILVA JR., J. R.; OLIVEIRA, J. F de; MACEDO, D. (org.) Reforma Universitária: dimensões e perspectivas. 1. ed. Campinas, Alínea/ANPEd, 2006. v. 1.

MACHADO, D. P.; TONIN, J. M. da F.; CLEMENTE, A. Orientador e orientando ideais: similaridades e dissimilaridades na percepção de professores e alunos. Revista Contemporânea de Contabilidade, v. 15, n. 35, p. 32-47 , abr.-jun. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/contabilidade/article/view/2175-8069.2018v15n35p32 Acesso em: 21 fev. 2022.

MINOGUE, K. R. O conceito de universidade. Tradução Jorge Eira G. Vieira. Brasília: Editora da UnB, 1981.

MARCELO GARCÍA, C. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

MARCELO GARCÍA, C. Desenvolvimento profissional: passado e futuro. Sísifo - Revista das Ciências da Educação, Lisboa, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009.

NÓBREGA, M. H. Orientandos e Orientadores no Século XXI: desafios da pós-graduação. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 3, p. 105-1076, jul.-set. 2018. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2175-62362018000301055&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em 21 fev. 2022.

SAMPAIO, H. Evolução do ensino superior brasileiro (1808 – 1990). Documento de Trabalho. Núcleo de Pesquisa Sobre Ensino Superior da Universidade de São Paulo, 1991.

SAVIANI, D. Do senso comum à consciência filosófica. 13. ed. Campinas: Autores Associados, 2000.

SAVIANI, D. A Pós-Graduação em educação no Brasil: pensando o problema da orientação. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. (org.). A bússola do escrever. Desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. São Paulo e Florianópolis: Cortez e Editora da UFSC, 2002.

SIMÕES, M. L. O surgimento das universidades no mundo e sua importância para o contexto da formação docente. Revista Temas em Educação, João Pessoa, v. 22, n. 2, p. 136-152, jul.-dez. 2013. Disponível em https://periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/17783 Acesso em 21 fev. 2022.

SOBRAL, A. Do dialogismo ao gênero: as bases do pensamento do Círculo de Bakhtin. Campinas: Mercado das Letras, 2009. (Série Ideias sobre Linguagem).

TEIXEIRA, A. A universidade de ontem e de hoje. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, INEP, v. 42, n. 95, jul.-set. 1964, p. 27-47.

TRZESNIAK, P. Qualidade e produtividade nos programas de pós-graduação: a disciplina Seminário de Dissertação. RBPG, v. 2, n. 3, p. 93-117, mar. 2005. Disponível em: http://ojs.rbpg.capes.gov.br/index.php/rbpg/article/view/25 Acesso em: 21 fev. 2022.

VIANA, C. M. Q. Q.; VEIGA, I. P. A. O diálogo entre orientadores e orientandos. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 222 – 226, set.-dez. 2010. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8079 Acesso em: 21 fev. 2022.

VOLÓCHINOV, V. (Círculo de Bakhtin). Maxismo e Filosofia da Linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução, notas e Glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2018.

WARDE, M. J. Sobre orientar pesquisa em tempos de pesquisa administrada. In: BIANCHETTI, L.; MACHADO, A. M. N. A bússola do escrever: desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. 2. ed. São Paulo e Florianópolis: Cortez e Editora da UFSC, 2006.