BNCC, educação e formação humana

Conteúdo do artigo principal

Dr.ª Lucimara Del Pozzo Basso
https://orcid.org/0000-0002-8589-1185

Resumo

O artigo aborda a proposição da BNCC e a proposta de formação humana presente nesse documento. Com base em uma pesquisa qualitativa e do tipo documental, apresenta-se a perspectiva filosófica de educação na contemporaneidade, apoiada em Paulo Freire, Boaventura de Sousa Santos e Edgar Morin, e estuda-se o conteúdo manifesto e latente que o documento da BNCC informa. Conclui-se que o projeto formativo tencionado na BNCC está avesso à agenda de mudanças e da reforma educacional necessária no século XXI, que deve abarcar não só os conteúdos e os métodos, mas, principalmente, o envolvimento do homem na sua totalidade, isto é, em seu aspecto racional, ético e estético.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
BASSO, L. D. P. BNCC, educação e formação humana. Olhar de Professor, [S. l.], v. 26, p. 1–22, 2023. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.26.20383.010. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20383. Acesso em: 17 jun. 2024.
Seção
Artigos em fluxo contínuo
Biografia do Autor

Dr.ª Lucimara Del Pozzo Basso, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo – IFSP

Doutora em Educação da Universidade Estadual Paulista – UNESP, Campus de Rio Claro. Mestra em Educação pela Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual Paulista – UNESP, Campus de Rio Claro. Atualmente é pedagoga doc, Campus São Paulo. Desenvolve estudos na área de Educação, com ênfase em: fundamentos da educação; políticas educacionais e avaliação de materiais didáticos.

Referências

ARANHA, M. L. de A. História da Educação. 2. ed. rev. atual. São Paulo: Moderna, 1996.

BIESTA, G. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Tradução: Rosaura Eichenberg. Belo Horizonte: Autêntica, 2017.

BRASIL, Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica, 2013. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13448-diretrizes-curiculares-nacionais-2013-pdf&Itemid=30192. Acesso em: 19 abr. 22.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília: MEC, [2018]. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 10 jan. 2019.

CAMBI, F. História da Pedagogia. Tradução: Álvaro Lorencini. São Paulo: Editora da UNESP, 1999.

CHAUI, M. A Universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, set./dez., 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rbedu/n24/n24a02.pdf. Acesso em 16 abr. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782003000300002

FLICK, U. Qualidade na pesquisa qualitativa. Tradução: Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia da tolerância. Organização e notas Ana Maria Araújo Freire. São Paulo: Editora UNESP, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. Organização e participação: Ana Maria de Araújo Freire. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 9. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981.

GOERGEN, P. Educação e diálogo. In: GOERGEN, Pedro (org.) Educação e diálogo. Maringá: Eduem, 2010. p. 13-54.

GOERGEN, P. Prefácio. In: GOERGEN, Pedro (org.) Educação e diálogo. Maringá: Eduem, 2010. p. 7-11.

GOERGEN, P. Pós-modernidade, ética e educação. 2. ed. revista. Campinas: Autores Associados, 2005a.

GOERGEN, P. Educação e valores no mundo contemporâneo. Educação e Sociedade, Campinas, vol. 26, n. 92, p. 983-1011, Especial, out., 2005b. Disponível em: https://www.scielo.br/j/es/a/vhPdCHYxn6nxtdPQzhkVRRs/?format=pdf&lang=pt. Acesso em 25 jan. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000300013

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F. de; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2012.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução: Eloá Jacobina. 6a. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MORIN, E. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Tradução: Edgard de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina, 2015.

SACRISTÁN, J. G. Escolarização e cultura: a dupla determinação. In: SILVA, L. H. da; AZEVEDO, J. C.; SANTOS, E. S. dos. (org.) Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Sulina, 1996. p. 34-57.

SANTOS, B. de S. Para uma pedagogia do conflito. In: SILVA, L. H. da; AZEVEDO, J. C.; SANTOS, E. S. dos. (org.) Novos mapas culturais, novas perspectivas educacionais. Porto Alegre: Sulina, 1996. p. 15-33.

SANTOS, B. de S. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. Tradução: Mouzar Benedito. São Paulo: Boitempo, 2007.

SANTOS, B. de S. Introdução a uma ciência pós-moderna. 4. ed. Porto: Edições Afrontamento, 1995.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2012.

VEIGA, I. P. A.; SILVA, E. F. da. Ensino Fundamental: gestão democrática, projeto político-pedagógico e currículo em busca da qualidade. In: VEIGA, I. P. A.; SILVA, E. F. da (org.) Ensino Fundamental: Da LDB à BNCC. Campinas: Papirus, 2018. p. 43-67.