A curricularização da extensão na formação docente: aproximações e contradições para uma praxis emancipadora

Conteúdo do artigo principal

Doutoranda Adrielle Nara Serra Bezerra
https://orcid.org/0000-0001-9391-8547
Doutoranda Francisca Márcia Lima de Sousa
https://orcid.org/0000-0002-0588-6651
Dr. Anselmo Alencar Colares
https://orcid.org/0000-0002-1767-5640

Resumo

O artigo tem como objeto de estudo a estratégia 12.7 do Plano Nacional de Educação, a qual instituiu que no mínimo 10% da carga horária dos cursos de graduação devem ser destinados à extensão universitária, o que desafia as instituições de ensino superior a repensarem suas concepções extensionistas, historicamente marcadas por ações assistencialistas e pela ausência nos currículos dos cursos superiores. Objetivou-se dimensionar as tensões que acompanham a trajetória da extensão no Brasil e elucidar as possibilidades de sua integração à formação de professores pela praxis emancipadora. A pesquisa, de cunho bibliográfico, sintetizou reflexões acerca da história da extensão universitária brasileira e demonstrou que, ao integrar-se aos currículos das licenciaturas, a extensão amplia as possibilidades para uma formação docente crítica e comprometida com a transformação social. É urgente, entretanto, propor interações, fundamentadas na praxis extensionista, que reforcem sua legitimidade enquanto ação indispensável à plena realização da universidade como instrumento emancipatório.

Métricas

Carregando Métricas ...

Detalhes do artigo

Como Citar
BEZERRA, A. N. S.; SOUSA, F. M. L. de .; COLARES, A. A. A curricularização da extensão na formação docente: aproximações e contradições para uma praxis emancipadora. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–22, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.20879.072. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20879. Acesso em: 6 fev. 2023.
Seção
Caderno temático "As reformas educacionais no Ensino Superior"
Biografia do Autor

Doutoranda Adrielle Nara Serra Bezerra, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação na Amazônia - PGEDA. Possui Mestrado em Recursos Naturais da Amazônia (Ciências Ambientais) pelo Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais da Amazônia (PPGRNA) da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). Graduada em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Pará (2013). Atualmente é Técnica em Assuntos Educacionais na Universidade Federal do Oeste do Pará.

Doutoranda Francisca Márcia Lima de Sousa, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação na Amazônia (PGEDA).Possui Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Oeste do Pará; Possui Graduação em Letras pela Universidade Federal do Pará (2006). Pós-Graduação em Língua e Literatura pela Universidade Federal do Pará e Graduação em Secretariado Executivo na UNINTER. Atualmente é Secretária Executiva da Universidade Federal do Oeste do Pará, atuou como Chefe Substituta de Gabinete do Reitor e Assessora de Gabinete da Reitoria da Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA, Professora Assistente (tutora/monitora) do Curso de Aperfeiçoamento a Escola e a Cidade: políticas públicas educacionais,( nível Pós-Graduação) da UFOPA e professora da educação básica da rede municipal de ensino do município de Santarém-Pará . Tem experiência na área de Educação, Letras e Secretariado Executivo, Docente no Programa Projovem Urbano nas áreas de Língua Portuguesa e Informática.

Dr. Anselmo Alencar Colares, Universidade Federal do Oeste do Pará - UFOPA

Professor Titular da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) no Instituto de Ciências da Educação (ICED), curso de Pedagogia. Professor permanente do Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE/UFOPA) e do Doutorado em Educação na Amazônia (PGEDA/UFOPA). Pós-doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); Pós-doutor em Educação pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR); Doutor e mestre em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP); Especialista em Ensino Superior pela Universidade Federal do Pará (UFPA); Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Bolsista produtividade em pesquisa CNPq. Editor-executivo da Revista Exitus do PPGE/UFOPA. Membro do conselho editorial da Editora Navegando. Membro do corpo editorial científico nacional da Revista HISTEDBR on-line e de diversos periódicos qualificados. Coordenador do Projeto de Pesquisa História e memória da educação escolar na Amazônia. Avaliador de instituições e de cursos pelo INEP/MEC desde 2008. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisas História, Sociedade e Educação no Brasil (HISTEDBR, UFOPA). Presidente da Academia de Letras e Artes de Santarém (ALAS). Sócio fundador do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós (IHG-Tap). Membro da Sociedade Brasileira de História da Educação (SBHE), da Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação (ANPED) e da Sociedade de Educação Comparada (SBEC). Coordenador do Programa de Pós-graduação em Educação na Amazônia - Doutorado Acadêmico (Associação em Rede - Polo Santarém/UFOPA (2019/2020). Coordenador do Programa de Pós-graduação do ICED/UFOPA (2011-2012). Coordenador do Doutorado Interinstitucional UNICAMP/UFOPA (2012-2013). Vice-reitor da UFOPA (2014-2017). Tem experiência na área administrativa, no ensino e na pesquisa, com ênfase em História da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: História da educação na Amazônia; política educacional; formação de professores.

Referências

AZEVEDO, J. M. L. de. Reflexões sobre políticas públicas e o PNE. Retratos da Escola, v. 4, n. 6, 2010. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v4i6.63.

BALDOINO, L. dos S. M.; MESQUITA, M. C. das G. D. Contribuições do materialismo histórico-dialético para o estudo da extensão universitária. Research, Society and Development, v. 10, n. 16, p.1-10, 2021. DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i16.23364.

BATISTA, Z. N.; KERBAUY, M. T. M. A gênese da Extensão universitária brasileira no contexto de formação do Ensino Superior. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 13, n. 3, p. 916-930, 2018. DOI: https://doi.org/10.21723/riaee.v13.n3.2018.11178.

BRASIL. Constituição de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 1, 5 out. 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Plano Nacional de Educação. Diário Oficial da União: seção 1, de 10 de janeiro de 2001, Brasília, DF, 2001.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Plano Nacional de Educação PNE 2014-2024: Linha de Base. Brasília, DF: INEP, 2015.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CES nº 7, de 18 de dezembro de 2018. Estabelece as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei nº 13.005/2014, que aprova o Plano Nacional de Educação - PNE 2014-2024 e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 49-50, 19 dez. 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2/2019, de 20 de dezembro de 2019. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 49-49, 2019.

BRASIL. Presidência da República. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, 21 dez. 1996.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE) e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, p. 1, 26 jun. 2014. PL 8035/2010.

CAMPOS, E. F. E. Diretrizes curriculares para a formação de professores: a praxis freiriana em perspectiva. Olhar de professor, Ponta Grossa, v. 24, p. 1-19, 2021. DOI: https://doi.org/10.5212/OlharProfr.v.24.16760.016

COIMBRA, A. L. de S.; SOUSA, A. I.; FIGUEIREDO, I. V.; LEITE, S. Mapeamento da inserção da extensão nos currículos dos cursos de graduação das instituições públicas de educação superior brasileira. Belo Horizonte: UFMG, 2019. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/RELAT%C3%93RIO_FINAL_MAPEAMENTO_INSERCAO_EXTENSAO_FINAL.pdf. Acesso em: 13 set. 2021.

COLARES, A. A. O projeto pedagógico institucional (PPI) e a indissociabilidade ensino-pesquisa-extensão. Revista Exitus, v. 5, n. 1, p. 11-24, jan./jun. 2015. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/5531/553156345002.pdf. Acesso em: 15 set. 2021.

CUNHA, L. A. A universidade temporã: o ensino superior; da Colônia à Era Vargas. 3. ed., São Paulo: UNESP, 2007.

DOURADO, L. F .(org.). PNE, Políticas e Gestão da Educação: novas formas de organização e privatização. Brasília, DF: Anpae, 2020, 435 p. E-book. Disponível em: https://www.seminariosregionaisanpae.net.br/BibliotecaVirtual/10-Livros/PNE-politicas-e-gestao-novas-formas-de-organizacao-e-privatizacao.pdf. Acesso em: 13 set. 2021.

FAGUNDES, G. Educação Superior Comentada: a utilização de 10% da carga horária dos cursos superiores para atividades de extensão. ABMES Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior. Ano 4, n. 21, jul. 2016. Disponível em: https://abmes.org.br/colunas/detalhe/1666/educacao-superior-comentada-a-utilizacao-de-10-da-carga-horaria-dos-cursos-superiores-para-atividades-de-extensao. Acesso em: 13 set. 2021.

FELIPPE, W. C. et al. Extensão nas instituições comunitárias de ensino superior: Referenciais para a construção de uma Política Nacional de Extensão nas ICES. Itajaí, SC: Editora UNIVALI, 2013. Disponível em: http://www1.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20150309182334.pdf. Acesso em: 05 dez. 2021.

FORPROEX. Plano Nacional de Extensão universitária. Ilhéus: Editus, (Extensão universitária, v. 1), 2001.

FORPROEX. Política Nacional de Extensão universitária. Manaus-AM, 2012. Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/2012-07-13-Politica-Nacional-de-Extensao.pdf. Acesso em: 30 ago. 2019.

GADOTTI, M. Extensão universitária: para quê? Instituto Paulo Freire, v. 15, 1-18, 2017. Disponível em: https://www.paulofreire.org/images/pdfs/Extens%C3%A3o_Universit%C3%A1ria_-_Moacir_Gadotti_fevereiro_2017.pdf. Acesso em: 11 jul. 2022.

GODOY, A. C. de S.; WAITZ, I. R. Contribuições dos projetos de extensão para estudantes da educação básica. Intellectus, ano VI, n. 12, 2010. Disponível em: http://www.revistaintellectus.com.br/artigos/12.133.pdf. Acesso em: 29 jul. 2022.

HAGE, S. A. M.; SILVA, H. do S. de A.; COSTA, M. C. dos S. Formação de professoras e professores na Amazônia paraense: regulação, resistências e experiências contra hegemônicas. Revista Humanidades e Inovação, v. 7, n. 16, 2020. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/ humanidadeseinovacao/article/view/2949. Acesso em: 19 jul. 2022.

IMPERATORE, S. L. B.; PEDDE, V. “Curricularização” da Extensão universitária no Brasil: questões estruturais e conjunturais de uma política pública. In: CONGRESO LATINOAMERICANO DE EXTENSIÓN UNIVERSITARIA, 13., 2015, Cuba. Anais [...]. Cuba: ULEU/Ministério da Educação Superior da República de Cuba, 2015. Disponível em: https://curricularizacaodaextensao.ifsc.edu.br/files/2016/06/1_Artigo_Curricularizaca_da_Extensao_Universitaria_no_Brasil.pdf. Acesso em: 13 jul. 2021.

JARA, E. J.; RAMOS, I. da S. Extensão universitária como alternativa à inclusão do tema empreendedorismo no currículo do ensino fundamental. In: AGUIAR, M. A. da S.; GUIMARÃES, E. R.; MORGADO, J. C. (org.). Currículo, escola, ensino superior e espaços não escolares. Recife: ANPAE, 2016. p. 95-103. Disponível em: https://www.esagkids.com.br/downloads/download_949.pdf. Acesso em: 29 jul. 2022.

KOCHHANN, A. A Formação de professores e a Extensão universitária: diálogos históricos e conceituais que influenciam o trabalho concreto. In: Encontro Brasileiro da REDESTRADO – Rede latino-americana, 9., 2017, Campinas-SP. Anais [...]. Campinas, 2017. Disponível em: http://anaisbr2017.redeestrado.org/files/abstracts/000/000/151/original/Base_te%C3%B3rica__hist%C3%B3ria__legalidade_e_concep%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 29 jul. 2022.

KOCHHANN, A. Formação Docente e Extensão universitária: Tessituras entre concepções, sentidos e construções. 2019. 548 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2019a. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/36801. Acesso em: 29 jul. 2022.

KOCHHANN, A. Extensão universitária na formação acadêmica: entre o pensar e o fazer, entre a teoria e a prática. In: Seminário Regional de Extensão Universitária da Região Centro Oeste, 10., 2019, Cáceres-MT. Anais [...]. Cáceres: UNEMAT, 2019b. Disponível em: https://www.unirv.edu.br/conteudos/fckfiles/files/EXTENS%C3%83O%20UNIVERSIT%C3%81RIA%20NA%20FORMA%C3%87%C3%83O%20ACAD%C3%8AMICA%20entre%20o%20pensar%20e%20o%20fazer,%20entre%20a%20teoria%20e%20a%20pr%C3%A1tica.pdf. Acesso em: 29 jul. 2022.

MACIEL, A. C. Desafios da formação docente em face da expansão capitalista na Amazônia. Revista Argumentos Pró-Educação. Pouso Alegre, MG, v. 1, n. 1, p. 19-44, jan./abr. 2016. DOI: https://doi.org/10.24280/ape.v1i1.71.

MORI, R. C. Comunicar o Conhecimento Para (Re)Produzi-lo: O Lema Da Extensão universitária, Revista de Cultura e Extensão USP, v. 17, p. 83-95, 2017. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9060.v17i0p83-95.

OLIVEIRA, C. V. N. C. de; TOSTA, M. de C. R. Estudo da curricularização da extensão no Centro Universitário Norte do Espírito Santo. Revista Conexão UEPG, v. 17, n. 1, p. 5, 2021. DOI: https://doi.org/10.5212/Rev.Conexao.v.17.17110.019.

OLIVEIRA, N. F. C; MELO, S. D. G. Extensão universitária e Educação Básica. In: Reunião Nacional da ANPEd, 36., 2013, Goiânia. Anais [...]. Goiânia: ANPEd, 2013. Disponível em: https://www.anped.org.br/biblioteca /item/extensao-universitaria-e-educacao-basica. Acesso em: 29 jul. 2022.

ROCHA, D.; COELHO, M. I. Currículos e curricularização da formação docente contemporânea nos mestrados em educação da UFPA, UEPA, UFT na/da Amazônia brasileira. Revista Exitus, v. 11, p. e020144-e020144, 2021. DOI: https://doi.org/10.24065/2237-9460.2015v1n1ID1552.

ROSA, S. M. O da; PINHEIRO, C. G. R. A “nova” aliança entre a educação básica e o ensino superior: um avatar científico ou uma prática discursiva necessária? Reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação – Região Sul, 9., 2012, Caxias do Sul. Anais [...]. Caxias do Sul: ANPEd Sul, 2012. Disponível em http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/226/ 345. Acesso em: 20 jul. 2022.

SAVIANI, D. Ensino público e algumas falas sobre a universidade. São Paulo. Cortez: Autores Associados, 1987.

SAVIANI, D. O trabalho como princípio educativo frente às novas tecnologias. 1994. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/files/demerval%20saviani.pdf. Acesso em: 24 jul. 2022.

SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, v. 1, n. 1, p. 131-152, 2003.

SERRANO, R. M. S. M.; MENENSES, L. B. de A.; ALVARENGA, J. da P. Oliveira. A Extensão universitária Brasileira: olhares sobre sua história. Saúde Redes, v. 5, n. 3, p. 93-206, 2019. DOI: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2019v5n3p193-206.

SILVA, A. da; ZANESCO, C.; CAZAROTTO, A.; BORSOI, F.; DERVANOSKI, C.; MAROLLI, C.; ZANELLA, K.; SILVA, D.; BAGATINI, M. O. O ensino de Ciências Biológicas - uma experiência teórico-prática com alunos do ensino médio de escolas públicas. Revista Brasileira de Extensão universitária, v. 7, n. 2, p. 99-104, 2016. DOI: https://doi.org/10.36661/2358-0399.2016v7i2.3086.

SILVA, K. A. C. P. A formação de professores na perspectiva crítico-emancipadora. Linhas Críticas, Brasília, DF, v. 17, n. 32, p. 13-31, 2011. DOI: https://doi.org/10.26512/lc.v17i32.3668.

SIQUEIRA, R. M. A política educacional e o discurso neoconservador: o que há de novo na velha agenda do mercado? In: DOURADO, L. F. (org.). PNE, Políticas e Gestão da Educação: novas formas de organização e privatização. (Meio Eletrônico) - Brasília, DF: Anpae, 2020. Disponível em: https://www.seminariosregionaisanpae.net.br/BibliotecaVirtual/10-Livros/PNE-politicas-e-gestao-novas-formas-de-organizacao-e-privatizacao.pdf. Acesso em: 10 set. 2021.

SOUSA, F. M. L. de; COLARES, A. A. Expansão do ensino superior público ao interior da Amazônia: registros do processo de criação da Ufopa. In: FONSECA, A. D.; MIRANDA, E. M. Mi. (org.). História, política e gestão educacional: análise e perspectivas. Curitiba: CRV, 2021. p. 57-79.

TAVARES, C. A. R; FREITAS, K. S. de. Formação dos profissionais da educação básica: as contribuições da extensão universitária. In: Congresso Ibero Americano de Política e Administração da Educação, 3., 2012, Zaragoza, Espanha. Anais [...]. Zaragoza: ANPAE, 2012. Disponível em: https://anpae.org.br/iberoamericano2012/Trabalhos/ChristianeAndradeRegisTavares_res_int_GT3.pdf. Acesso em: 20 jul. 2022.

TIMM, U. T.; GROENWALD, C. L. O. A curricularização da extensão universitária em um curso de formação de professores de matemática. Cadernos cenpec, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 207-234, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.18676/cadernoscenpec.v8i1.395.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)